Home Sobre o evento Programação
científica
ExpOrto
2012-SPO
Trabalhos científicos Informações Clear-Aligner

Especialistas com reconhecida experiência clínica estarão no Orto 2012-SPO.

Adalsa Hernandez (Venezuela)
Doutora em Diagnóstico Radiológico - PUC-São Paulo; Mestre em CTBMF; Especialista em Cirurgia Bucal; Coordenadora da Unidade de imagem dento-maxilofacial - Clínica Félix Boaba, Caracas, Venezuela; Professora da Pós-graduação em OFM - Universidade de Zulia, Maracaibo - Venezuela.
Tema: Deslocamento do disco articular da ATM em crianças e adolescentes.
Abordagem: Temos observado um aumento no deslocamento do disco articular em crianças e adolescentes, através das imagens que avaliamos as consequências deste deslocamento e pela avaliação clínica, tentamos obter informações sobre a causa do aumento na incidência desta artropatia.
   
Ana María Ramón de Blanco (Argentina)
Membro do Tribunal de Avaliação para a Especialidade de Ortodontia e Ortopedia Funcional - Ministério da Saúde e Ação Social da República Argentina; Secretária Acadêmica e professor de Ortopedia Funcional dos Maxilares, crescimento e desenvolvimento no curso de pós-graduação - Círculo Argentino de Odontologia - Universidad de Morón e Universidad John F. Kennedy; Diretora - Escola de Especialização em Ortopedia Funcional dos Maxilares - Círculo Argentino de Odontologia.
Tema: Postura e oclusão, oclusão e postura: mito ou realidade?
Abordagem: Uma postura correta se define como a alienação simétrica e proporcional dos segmentos corporais em torno do centro da gravidade. A postura ideal é a que mantém as curvas fisiológicas da coluna vertebral. É alcançada mantendo a cabeça acima da posição de equilíbrio, sem torcer o tronco, a bacia em posição neutra e as extremidades inferiores alienadas, de forma que o peso do corpo se divida adequadamente. Com uma abordagem integrada aos nossos pacientes e à luz de novas especialidades médicas, tais como a Posturologia, é que observamos desordens posturais em crianças que estão em tratamento para distúrbios funcionais e oclusão. As mesmas podem apresentarem-se como disgnatias estruturais ascendentes ou mistas. Nesta exposição veremos como influi a oclusão na organização postural da criança.
   
Andrea Deregibus (Itália)
MD e DDS - Universidade de Turim, Itália; PhD em Gnatologia - Faculdade de Odontologia, Universidade de Turim; Professor - Escola de Ortodontia, Universidade de Turim; Pesquisador e professor de Gnatologia Clínica - Faculdade de Odontologia, Universidade de Turim.
Tema: Ferramentas científicas para dar apoio à Ortopedia Funcional dos Maxilares.
Abordagem: Nos últimos anos, uma grande discussão foi feita em torno dos aparelhos funcionais. De fato, até agora, não houve uma resposta definitiva para a questão, se e como esta categoria de aparelhos funciona. Parece que os aparelhos funcionais agem de acordo com a teoria servo sistema de crescimento facial. Esta teoria presume que se o crescimento acontece devido a diferenciação de condroblastos, o efeito de fatores biomecânicos locais é expresso na quantidade de crescimento. Quando um aparelho funcional é usado, é obtido um aumento na atividade contrátil do pterigóideo lateral, que produz um aumento na liberação de fatores estimulantes de crescimento e uma ossificação adicional subperiosteal da borda posterior da mandíbula com um alongamento complementar da mandíbula. Devido a estas considerações, podemos utilizar esses tipos de aparelhos para o tratamento de nossos pacientes.
   
Andrea Rizzacasa (Itália)
Especialista em Ortodontia - Universidade de Cagliari, Itália; Mestre em Oclusão - Universidade Tor Vergata de Roma, Itália; Clínico dedicado à prática exclusiva de Ortodontia com bráquetes autoligáveis na cidade de Cagliari, Itália.
Tema: Procedimentos científicos com braquetes autoligáveis.
Abordagem: Indicações clínicas e mecânicas utilizadas com bráquetes autoligáveis passivo. Apresentação de casos clínicos.
   
Antonio Bedoya (Colômbia)
Cirurgião-dentista - Universidade Autônoma de Manizales, Colômbia; Especialista em Ortopedia Funcional dos Maxilares - AAOFM; Especialista em Ortodontia - Ateneo Argentino de Odontologia; Membro ativo - Academia Ibero Latino-americana de Disfunción Craneo Cervico Mandibular (AILDC), Sociedade Colombiana de Ortodoncia e Sociedade Colombiana de Ortopedia Maxilar; Professor da Pós-graduação em Ortodontia e Ortopedia Maxilar - Instituición Universitária Colegios de Colombia (Unicoc); Professor da Pós-graduação em Odontologia e Ortopedia Maxilar - Universidad Del Valle, Colômbia.
Tema: Tratamento precoce da má-oclusão Classe II. Resultados com três aparatos ortopédicos: Bionator, Klammt e Simos NetWork 1.
Abordagem: O tratamento precoce das más oclusões Classe II tem sido um dos maiores desafios para o ortodontista e ortopedista dos maxilares. Nesta palestra serão apresentados os resultados de um estudo onde comparamos o efeito do uso de três aparatos ortopédicos funcionais em pacientes jovens com más oclusões Classe II esquelética, com sobremordida horizontal maior ou igual a 5 mm. Serão evidenciados resultados favoráveis para os pacientes com diferentes efeitos e resultados nas diferentes estruturas onde estes aparatos têm influência.
   
Antonino Secchi (EUA)
Professor assistente, diretor clínico do departamento de Ortodontia - University of Pennsylvania, USA; Professor visitante - University of Los Andes, Chile; Certificado em Oclusão Avançada - University of Chile.
Tema: Mecânica de tratamento utilizando aparelhos autoligados ativos.
Abordagem: Este curso apresentará um sistema eficiente e prático para alcançar resultados excelentes resultados em uma variedade de situações clínicas quando se usa um aparelho autoligado Straight Wire. Os participantes entenderão como nunca antes, a base do aparelho Straight Wire e como ele tem sido integrado com o autoligado para melhorar a eficiência e o controle. Será explicado o racional por trás da prescrição de um novo aparelho para tirar plena vantagem da ação dos braquetes autoligados. Vários casos, passo a passo, serão apresentados junto com os estágios da mecânica de tratamento, preparação de ancoragem e sequência ideal do fio. Serão revistos o tratamento de más oclusões de Classe I, II e III, problemas verticais e transversais, terapia de extração/não extração etc.
   
Birte Melsen (Dinamarca)
Especialista em Ortodontia; Chefe do departamento de Ortodontia - Escola de Odontologia da Aarhus University, Dinamarca; Clínica particular, em tempo parcial, somente para Ortodontia em adultos, em Lübeck, Alemanha; Autora de mais de 350 artigos nos campos de crescimento e desenvolvimento baseados em pesquisa de material de autópsia humana, biologia óssea e estudos clínicos em implantes; Nos últimos anos o seu interesse profissional está focado nos campos da ancoragem esquelética, imagem virtual e tratamento ortodôntico para adultos; Recebeu em 2000, o título de nobreza em 1o grau, da Cavalaria de Dannebrog.
Tema: Gestão ortodôntica de pacientes adultos - Possibilidades e limitações.
Abordagem: O estado da arte no tratamento ortodôntico de adultos é um resultado do desenvolvimento dentro de aparelhos e ferramentas de diagnóstico, mas, também, de uma melhor compreensão da reação tecidual à aplicação de forças. As más oclusões apresentadas por pacientes adultos são também más oclusões que têm agravado o processo de envelhecimento normal, ou más oclusões secundárias desenvolvidas pela perda de dentes e destruição periodontal levando à migração espontânea de dente com disfunção frequente que deteriora ainda mais a situação. O tratamento ortodôntico deverá ser realizado como parte de um trabalho em equipe com outros especialistas, tais como periodontistas e protesistas. É vantajoso para os pacientes em diferentes maneiras, por exemplo: 1) Distribuindo os dentes disponíveis ideais para uma reconstrução; 2) Movendo dentes com regeneração óssea para implantes em uma área edêntula; 3) Melhorando o status periodontal quantitativa e qualitativamente. Muitas vezes, infelizmente, esses pacientes não podem ser tratados por meios convencionais, devido à falta de ancoragem disponível e os profissionais são obrigados a utilizar a ancoragem esquelética como, por exemplo, o uso de mini-implantes parafusados como unidade(s) de ancoragem. A introdução de ancoragem esquelética tem ampliado tanto o horizonte de possibilidades de tratamento para estes pacientes, como o espectro de Ortodontia. Nesta apresentação serão apresentados exemplos dos princípios mencionados acima com foco sobre biomecânica e o uso de ancoragem esquelética com mini-implante. Serão destacadas também, as condições, limitações e o papel do paciente na gestão pós-tratamento. Resultados a longo prazo de 30 anos, e mais, será usado para ilustrar esses princípios e os fatores de importância para manutenção.
   
Carlos Chaparro Bohórquez (Colômbia)
Graduado em Odontologia - Universidad Nacional de Colombia; Especialista em Ortodontia - PUC-RJ; Especialista em Odontopediatria - UFRJ; Professor de Ortodontia - FUAA; Diretor executivo - Asodin (Asesorias Medico Odontologicas Internacionales).
Tema: OISE - Ortodontia Invisível Segmentada por Encapsulamento.
Abordagem: O sistema OISE é constituído por placas removíveis confeccionadas em acetato rígido transparente termo-formado, que recobre os dentes e gengivas até a união mucogengival; as placas podem ser segmentadas ou cortadas antes de serem colocadas na boca, e incorporam em sua estrutura parafusos de expansão e compressão permitindo, através de sua ativação, movimentos por deslocamento de estruturas ósseas e dentárias nas três dimensões do espaço. O sistema OISE Chaparro utilizado na correção de discrepâncias dento-maxilofaciais se converte em uma excelente alternativa para pacientes pediátricos e adultos por ser uma técnica de alta estética, fácil manejo, resultados rápidos, fácil confecção, máxima ancoragem, mínima alteração da fonação e grande tolerância por parte do paciente.
   
Dario Julio Meza Sevillano (Peru)
Cirurgião-dentista - Facultad de Odontologia, Universidad Nacional mayor de San Marcos; Mestre em Fisiopatologia Crânio-Cérvico-Mandibular e Dor Facial - Universidad Andrés Bello, Santiago de Chile; Aluno do curso de Especialização em Ortopedia Funcional dos Maxilares - Universidade Cruzeiro do Sul, São Paulo; Membro ativo e ex-Presidente - Academia Ibero Latinoamericana de Disfuncion Craneo Mandibular y Dolor Facial (AILDC); Membro ativo - Sociedad Peruana de Ortopedia Funcional de los Maxilares.
Tema: O uso de splints com um conceito ortopédico e tratamentos de cargas e descargas podem levar a mudanças estruturais na anatomia do côndilo da ATM?
Abordagem: A evidência científica nos mostra a importância da carga funcional para melhorar o aporte de nutrientes da fibrocartilagem articular da ATM. A ATM também possui uma ossificação intramembranosa e uma fibrocartilagem secundária que permite ter células indiferenciadas na camada proliferativa. Estas duas características abrem um novo conceito no tratamento das cargas funcionais dentro da ATM.
   
Lars Christensen (Inglaterra)
PhD - University of Copenhagen; MSc - University of London.
Tema: Ortodontia em adultos.
Abordagem: Serão discutidos detalhes do planejamento e do tratamento ortodôntico em adultos. A abordagem incluirá o tratamento interdisciplinar, o cuidado com as recessões gengivais e a interface com a Periodontia, as indicações de cirurgia ortognática, o controle dos fatores relacionados à estética, assim como o manejo das contenções.
   
Lawrence Andrews (EUA)
Co-diretor - The Andrews Foundation; Professor clínico - Univ. California, San Francisco, USA; Professor adjunto - Univ. West Virginia, USA; Inventor do sistema de aparelho Straight Wire; Descobridor das seis chaves para a oclusão normal (ideal) e os seis elementos da harmonia orofacial.
Tema: Os seis elementos da harmonia orofacial: objetivos científicos e personalizados para o tratamento ortodôntico.
Abordagem: O tratamento ortodôntico-cirúrgico convencional tem limitações, pois, ao decidir realizar o tratamento, o paciente precisa esperar em média um ano e meio para realizar a cirurgia, bem como, na maioria dos casos, ver a sua aparência facial piorar durante esse período. Isso é um tanto paradoxal, porque muitos pacientes que procuram tratamento, o fazem motivados pela melhora estética, ainda que o tratamento tenha um forte cunho funcional. Em virtude dessa limitação, entre outras, utilizamos em nossas clínicas privadas, desde 2004, uma metodologia de tratamento que antecipa a realização da cirurgia. Esse protocolo se baseia em – após o diagnóstico - planejar extensamente todas as fases do tratamento, montar o aparelho ortodôntico, operar o paciente e, somente depois, realizar o tratamento ortodôntico ativo. Essa metodologia antecipa os benefícios da cirurgia e por isso foi denominada de Benefício Antecipado. Ela não muda de forma significativa a técnica cirúrgica, mas sim o tratamento ortodôntico, tornando-o mais complexo por incorporar a ancoragem esquelética na maior parte dos casos, e requerer um comprometimento do ortodontista em atingir os objetivos traçados ao início. Essa conferência objetiva apresentar esse protocolo.
   
Luciano Soldevilla Galarza (Peru)

Graduado - Universidade Nacional Mayor de San Marcos - Lima, Peru; Especialista em Ortodontia; Coordenador da segunda Especialização em Ortodontia - Universidade Nacional Mayor de San Marcos - Lima, Peru; Professor de Graduação e Pós-graduação em Ortodontia - Universidade Nacional Mayor de San Marcos - Lima, Peru; Membro - Associação Peruana de Ortodontistas e Associação Iberoamericana de Ortodontistas - Capítulo Peruano.

Tema: Tratamento das más oclusões de Classe III com Filosofia Meaw
Abordagem: A má oclusão de Classe III é causada pela desarmonia do sistema dinâmico do esqueleto craniofacial. Quando o plano oclusal maxilar e mandibular muda, a mandíbula se adapta a estas mudanças causando o deslocamento. Os objetivos básicos do tratamento ortodôntico com a Filosofía Meaw são eliminar a discrepância posterior, restaurar a harmonia através da reconstrução ortodôntica oclusal e controlar a dimensão vertical.
   
Luis Nelson Nuñez (Uruguai)

Graduado e ex-docente da disciplina de Ortodontia - Udelar, Uruguai; Graduado - Roth Williams Center Uruguay; Coordenador de cursos curtos - NYU; Consultor e coordenador da Educação Continuada na America Latina - Dentsply GAC International; Afiliado - Sociedad Uruguaya de Ortodoncia, Alado e WFO.
Tema: Autoligado, um caminho eficiente a excelentes resultados
Abordagem: A ideia desta conferência é apresentar as principais características do bráquete autoligado interativo. Com uma técnica de trabalho simples e limpa, e uma biomecânica fácil é possível alcançar os melhores resultados em Ortodontia. Serão demonstrados os benefícios dos bráquetes autoligantes.
   
Mario Pistoni (Argentina)
Ex-presidente - Asociación Argentina de Ortopedia Funcional de los Maxilares; Presidente - V Congreso Internacional de IFUNA (International Functional Association), Argentina; Membro - Tribunal Argentino de Evaluación en Ortodoncia y Ortopedia Dento-Maxilar, Sociedad Argentina de Ortodoncia; Especialista em OFM - Asociación  Argentina de Ortopedia Funcional de los Maxilares; Especialista em Ortodontia - Sociedad Argentina de Ortodoncia; Professor adjunto do curso de Especialização em Ortodontia e Ortopedia Maxilar - Universidad del Salvador, Asociación Odontológica Argentina.
Tema: Diagnóstico precoce - Tratamento imediato
Abordagem: A Ortopedia Funcional dos Maxilares é uma especialidade da Odontología com características puramente preventivas. Porque, se temos a oportunidade de avaliar nossos pacientes podemos detectar sinais precoces da doença, potenciais disgnasias futuras. Na cavidade oral encontramos manifestações locais de enfermidades sistêmicas. Como por exemplo no caso do paciente respirador bucal, com características bucais, faciais e posturais típicas. Funções vitais e formadas desde o primeiro momento de vida são a respiratória, mastigação e deglutição. Nosso objetivo terapêutico primordial sempre será restabelecer estas funções com a maior brevidade possível explorar a plasticidade do sistema e equilibrar a harmonia estrutural e estética em uma idade adiantada. Assim, levantamos a importância de realizar um diagnóstico precoce e etiopatogênico. A eliminação dos fatores que causam anomalias, tais como hábitos, obstruções das vias aéreas superiores e hipertrofia das amígdalas são essenciais para alcançar o equilíbrio e função neuromuscular. Os métodos terapêuticos utilizados são numerosos e sua escolha depende da idade, da anomalia, da etiologia e também da formação profissional.
   
Marisela Margarita Gonzalez de Bello (Venezuela)
Mestre e especialista em Ortodontia; Credenciamento em micro implantes - Dewimed, Alemanha; Professora e coordenadora da pós-graduação em Ortodontia - Instituto Vellini, Venezuela.
Tema: Tratamento de Classe II cirúrgica
Abordagem: Atualmente a má oclusão é definida como uma disposição dos dentes que gera um problema funcional e estético para o indivíduo. Existe uma relação molar Classe II quando o primeiro molar inferior permanente se encontra distante da sua contraparte superior. Em uma má oclusão classe II encontramos uma musculatura anormal, com um lábio superior hipotônico e o inferior hipertônico. No presente estudo descreve-se o tratamento de uma Classe II div. 1 unilateral com hipotonicidade do lábio superior e hipertonicidade do lábio inferior, sem selamento labial; em nível radiográfico se observa hiperdivergência dos planos mandibulares e planos palatinos. Realiza-se ortodontia pré-cirúrgica. Ao finalizar o tratamento se observou que os objetivos funcionais foram obtidos.
   
Martin Epstein (EUA)
Professor associado clínico do departamento de Ortodontia da divisão de Pós-graduação - New York University College of Dentistry; Diplomado - American Board of Orthodontics; Prêmio Professor do Ano da Pós-graduação em Ortodontia - NYU College of Dentistry.
Tema: Como diagnosticar e tratar os vários tipos de más oclusões Classe II, para atingir excelentes resultados, com confiança e precisão.
Abordagem: Este curso mostrará as indicações de distalização dos dentes superiores; quando e onde reposicionar a mandíbula; o protocolo para extrair nos dois arcos ou apenas na maxila; quando “não” extrair dentes; assim como os principais motivos que levam à correção cirúrgica da Casse II.
   
Vittorio Cacciafesta (Itália)
Especialista e MsC em Ortodontia - Departamento de Ortodontia, Royal Dental College, Aarhus University, Denmark; Professor clínico assistente - Departamento de Ortodontia, University of Insubria, Varese, Italy; Professor visitante - Departamento de Ortodontia, Aarhus University, Denmark e Temple University, Philadelphia, USA; Perito - American Journal of Orthodontics and Dentofacial Orthopedics, Angle Orthodontist, European Journal of Orthodontics, Orthodontics and Craniofacial Research, Ortognatodonzia Italiana; Membro - World Federation of Orthodontists, European Orthodontic Society, Angle’s Society (North Atlantic Component), SIDO (Italian Orthodontic Society), SIOLE (Italian Society of Lingual Orthodontics and Esthetics).
Tema: Ortodontia lingual fácil: é possível?
Abordagem: A Ortodontia Lingual 2D é uma excelente alternativa para os sistemas linguais para adultos que procuram tratamentos ortodônticos invisíveis. O objetivo desta apresentação é descrever os avanços e o estado da arte da técnica lingual 2D que podem ser realizados com colagem de braquetes direta, sem necessidade de elevação. Os braquetes são autoligáveis e não têm uma abertura tradicional retangular na base. Hoje, tais braquetes são fabricados em uma variedade de formas e desenhos que podem, significativamente, habilitar o clínico a tratar a maioria das más oclusões e corrigir rapidamente os problemas estéticos. O uso dos braquetes linguais 2D representa uma alternativa valiosa para os convencionais braquetes linguais 3D no tratamento da maioria das más oclusões que não requerem extrações dentais para a sua resolução. Esses braquetes são esteticamente agradáveis e muito confortáveis para os pacientes.
   
Young Chel Park (Coreia do Sul)
Professor - Departamento de Ortodontia, College of Dentistry, Yonsei University, Seoul, Korea; Presidente - World Implant Orthodontic Association; Membro do Conselho de Revisão Editorial - American Journal of Orthodontics and Dentofacial Orthopedics; Reitor e Professor - College of Dentistry, Yonsei University, Seoul, Korea.
Tema: Fundamentos e aplicações clínicas dos mini-implantes ortodônticos.
Abordagem: Os sistemas de ancoragem esquelética foram criados para fornecer ancoragem absoluta, de modo a solucionar os problemas de aceitação da ancoragem intra e extraoral convencional. Esta apresentação visa sugerir várias situações clínicas onde os miniparafusos podem ser utilizados, demonstrando métodos para sua maior estabilidade, fornecendo considerações biomecânicas e perspectivas do futuro dos mini-implantes na Ortodontia.
   
Acácio Fuziy
Especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial - Universidade Estadual de Londrina; Mestre em Ortodontia - Faculdade de Odontologia de Araraquara - Unesp; Doutor e Pós- doutorado em Ortodontia - Faculdade de Odontologia de Bauru - USP; Coordenador do curso de Especialização em Ortodontia - Associação Brasileira de Odontologia, MS; Professor Assistente no Programa de Pós-graduação - nível Mestrado em Ortodontia - Unicid.
Tema: A mecânica ortodôntica no fechamento de espaço com arcos de deslizamento, emprego de alças e auxílio de mini-implantes.
Abordagem: A mecânica de fechamento de espaços constitui-se em uma das mais desafiadoras fases do tratamento ortodôntico. Este curso visa apresentar ao ortodontista os requisitos fundamentais para se iniciar uma bem sucedida mecânica de retração anterior, bem como detalhar os métodos que empregam arcos de deslizamento ou alças verticais. Serão também destacados os efeitos colaterais que esta mecânica pode gerar.
   
Adriano Marotta Araujo
Professor na Disciplina de Ortodontia - Unesp, SJC; Doutor em Ortodontia - Unesp, Araraquara; Pós-graduado - Baylor College of Dentistry, Dallas, TX; Professor na Disciplina de Gestão de Serviços - FAAP.
Tema: Sistema Orthoi de gestão e tratamentos ortodônticos
Abordagem: Com a grande concorrência nos dias de hoje, sabemos que não basta sermos somente bom tecnicamente. A importância da correção da má oclusão é fundamental. Porém, se conseguirmos unir a ciência e a tecnologia com um sistema de gestão eficiente, com certeza teremos clientes mais satisfeitos e uma empresa mais competitiva. Os pilares do Sistema Orthoi são: alta produtividade, produtos modernos, atendimento ao cliente e qualidade de vida. Também faz parte do sistema nossa experiência de 8 anos com os bráquetes autoligados, a colagem indireta e a técnica lingual individualizada por computador.
   
Adrião Silveira Martins
Especialista em Ortodontia e Ortopedia Funcional dos Maxilares; Professor dos cursos de especialização em Ortodontia e Ortopedia Funcional dos Maxilares da ABO-BA.
Tema: Mordidas cruzadas: como e quando tratar. Ortodontia ou Ortopedida Funcional dos Maxilares?
Abordagem: As mordidas cruzadas se caracterizam por alterações nas relações vestibulos-linguais entre os dentes antagonistas, classificadas em anteriores, posteriores ou combinadas, podem causar assimetrial facial dependendo do tipo, severidade, período e tempo de atuação. O objetivo desta apresentação e abordar de forma pragmática os métodos de diagnóstico e tratamento utilizados em ambas as especialidades na correção dessas oclusopatias.
   
Alael Barreiro Fernandes de Paiva Lino
Doutor em Ortodontia - Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo.
Tema: Sucessos e insucessos em sete anos de clínica com aparelhos autoligados.
Abordagem: A palestra abordará as vantagens, baseadas em evidências clínicas, da utilização dos dispositivos autoligados, na clínica ortodôntica. Discutiremos os casos de sucesso bem como os insucessos e limitações observadas na prática diária. Podemos, com uma casuística apresentada, listar, de maneira crítica, o impacto que a introdução dos dispositivos ortodônticos autoligados tiveram na Ortodontia. Serão demonstrados na palestra, não só os benefícios clínicos-biomecânicos, quanto aqueles presentes no gerenciamento e na utilização pelos pacientes de tais recursos.
   
Alberto Consolaro
Professor titular - Faculdade de Odontologia de Bauru/USP; Professor responsável pelo Serviço de Anatomopatologia - Departamento de Estomatologia da Faculdade de Odontologia de Bauru/USP; Professor da pós-graduação - Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto/USP; Autor dos livros: Cárie dentária: histopatologia e correlações clínico-radiográficas; O "Ser" Professor. Arte e Ciência no Ensinar e no Aprender. 5a edição; Reabsorções dentárias nas especialidades clínicas". 2a edição; Controvérsias na Ortodontia & Atlas de Biologia da Movimentação Dentária; Inflamação e Reparo – Um sílabo para a compreensão clínica e implicações terapêuticas.

Tema: As controvérsias mais atuais da Ortodontia.
Abordagem: Serão abordados os assuntos mais polêmicos e controversos da prática ortodôntica com base na histopatologia dos tecidos periodontais e dentários, assim como das condições sistêmicas dos pacientes.
   
Alan Rodrigues
Autor do livro O Sistema Autoligável - segredos clínicos; Professor e Diretor Científico - European Orthodontic Center, EU; CEO - Self Ligating University; Pós-graduado - Roth-Williams Center for functional occlusion (two years course), San Francisco, CA. USA; Mestre em DTM - Universidade Federal de São Paulo / Escola Paulista de Medicina; Residência em DTM - Minnesota University / Orofacial pain, USA; Co-Autor do livro Micro-Odontologia - visão e precisão em tempo real; Autor Wins System - O desenvolvimento clínico do sistema autoligável.

Tema: O sistema autoligável - segredos clínicos.
Abordagem: Apresentar as comparações de casos clínicos com diferentes más oclusões realizados com os principais braquetes autoligáveis existentes no mercado atual, ativos, passivos e interativos, esclarecendo suas diferenças, vantagens e desvantagens. Para que o profissional possa, a luz das evidencias clínicas, entender o sistema autoligável e concluir que o importante no tratamento é o ortodontista e não um braquete de uma marca específica.
   
Alécia Silva Longo Louzada
Mestre em Ortodontia; Especialista em DTM e Dor Orofacial e Ortopedia Funcional dos Maxilares.

Tema: Como utilizar os aparelhos ortopédicos e pré-fabricados no tratamento das disfunções temporomandibulares e dores orofaciais
Abordagem: As disfunções do aparelho mastigatório além dos dentes envolvem também as articulações temporo mandibulares, músculos, ligamentos e tecidos moles. A causa de certas dores orofacias pode ser a disfunção deste sistema. Além disso, a respiração oral, situação não fisiológica, contribui para falta de tônus de toda a musculatura esquelética. Os músculos da mastigação e aqueles responsáveis pelo nivelamento do crânio estarão prejudicados o que provoca rotações cranianas importantes levando a dores musculares e cefaléia. Muitos pacientes submetidos á reabilitação do sistema estomatognático com o uso de aparelhos ortopédicos funcionais mostram redução destas dores e controle das disfunções.
   
Alexander Macedo
Especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial; Mestre em Ortodontia e Ortopedia Facial - Unicid; Professor do curso de Especialização em Ortodontia - Instituto Vellini; Professor de cursos clínicos e laboratoriais de Ortodontia Lingual.

Tema: A Ortodontia e a estética do sorriso
Abordagem: Por muitas décadas, o planejamento do tratamento ortodôntico era focado principalmente na obtenção de oclusão normal nos molares e caninos, com sobremordida e sobressaliência ideais.  Hoje em dia, no entanto, a busca pela estética vem sendo cada vez mais valorizada no relacionamento entre as pessoas. E o sorriso tem parte primordial nesse convívio, uma vez que ele sempre serviu como forma de comunicação, possivelmente a maneira não-verbal mais rápida e eficaz de fazer contato.  Por isso, verifica-se um aumento do interesse pela Odontologia cosmética nos consultórios dos nossos colegas de outras especialidades. Eles estão mais focados na estética do sorriso e esperam que os pacientes ortodônticos, encaminhados por eles, retornem com sorrisos de acordo com os critérios que eles adotam. O objetivo desta apresentação é apresentar elementos de diagnóstico e planejamento, visando buscar um sorriso harmonioso e bem balanceado com o tratamento ortodôntico integrado com outras especialidades da Odontologia.
   
Alexandre Gallo Lopes
Cirurgião-dentista - Faculdade de Odontologia de Araraquara - Unesp; Especialista em Biomateriais - Unesp Araraquara; Especialista em Ortodontia.

Tema: Bráquete autoligável: conceito e técnica
Abordagem: Apresentação dos princípios básicos da técnica do autoligável. Ativo versus passivo, protocolos de colagem, protocolo da sequência de arcos e casos clínicos.
   
Alexandre Moro
Mestre em Ortodontia - Umesp; Doutor em Ortodontia - FOB-USP; Professor Associado - UFPR - Graduação e Pós-graduação em Ortodontia; Professor Titular - Universidade Positivo - Graduação e Pós-graduação em Ortodontia; Vice-presidente - Grupo Brasileiro de Professores de Ortodontia e Odontopediatria; Presidente - Associação Paranaense de Ortodontia.

Tema: Ortodontia Lingual: simplificada ou complexa?
Abordagem: Atualmente, a Ortodontia está passando por uma nova fase. Muitos pacientes que fizeram um primeiro tratamento quando adolescentes com aparelho fixo metálico estão na atualidade corrigindo pequenas recidivas. E, esses pacientes têm preferido utilizar aparelhos estéticos. Da mesma forma, pacientes adultos que não tiveram a oportunidade de tratar quando criança, estão buscando o tratamento atualmente e também não querem usar um aparelho convencional. Graças aos grandes avanços tecnológicos dos últimos anos, a Ortodontia Lingual tem superado as dificuldades iniciais da introdução da técnica e tem se colocado como uma ótima opção de tratamento para esse novo tipo de paciente. Essa apresentação terá por objetivo discutir e apresentar casos clínicos tratados com as novas técnicas de aparelhos linguais (simples e complexas).
   
Alexandre Ponce
Especialista, mestre e doutor em Ortodontia; Autor do livro Straight Wire, Editora Profile, 2007/2010; Coordenador dos cursos de Especialização - Orthodontic Internacional, RJ.

Tema: Biomecânica autoligante interativa - Conceito e técnica.
Abordagem: Introdução aos sistemas interativo e passivo de acessórios autoligantes interativos; Aspectos biológicos; Fase de alinhamento e nivelamento com acessórios autoligantes interativos: controles sagital e vertical e protocolo de fios; A utilização dos slots diferenciais para fechamento de espaços: importância do conceito de autocinese e otimização da prescrição Roth; Solução de problemas clínicos de difícil controle; Estágio atual das pesquisas relativas à Biomecânica Interativa Autoligante; Apresentação de casos clínicos.
   
Ana Carla Raphaelli Nahás Scocate
Professora Associada do Programa de Pós-graduação em Odontologia - área de concentração Ortodontia - Universidade Cidade de São Paulo, Unicid; Mestre e doutora em Ortodontia - Faculdade de Odontologia de Bauru-USP; Professora Visitante - Faculdade de Odontologia da Universidade de Toronto, Canadá; Estágio Pós-doutoral em Ortodontia - Universidade de Aarhus - Royal Dental College, Faculty of Health Sciences, Dinamarca.
Tema: Protocolo ortodôntico para pacientes adultos com problemas periodontais
Abordagem: O paciente adulto com problema periodontal requer um protocolo adequado de tratamento ortodôntico quando da sua indicação. Com o objetivo de se obter um bom resultado estético, além de oclusão funcional e estabilidade a longo prazo, a integração da Ortodontia com outras especialidades se faz necessária para juntas avaliarem e determinarem o plano de tratamento ideal, embasados em um diagnóstico preciso.
   
An Tien Li
Professor de Ortodontia - Depto. de Odontologia, Faculdade de Ciências da Saúde, UnB; Professor de curso de Especialização em Ortodontia - ABO Anápolis/GO e Universidade Sagrado Coração, USC-Bauru; Doutor (2007) e Mestre (2002) em Ortodontia - Faculdade de Odontologia de Araçatuba, Unesp.
Tema: Diagnóstico diferencial e abordagens terapêuticas para as más oclusões de Classe II, subdivisão
Abordagem: Análise das morfologias dos arcos e da rotação do primeiro molar superior como meios de diagnóstico diferencial para os diferentes tipos de más oclusões de Classe II, subdivisão; Abordagens terapêuticas orientadas pelo diagnóstico: Maxilar ou mandibular? Extrair ou não extrair? Distalizar o molar superior ou protruir o molar inferior?
   
André Felipe Abrão
Especialista em Ortodontia - Fundecto-USP; Mestre em Ortodontia - Fousp; Doutorando em Ortodontia - Fousp.

Tema: Avaliação de ruídos articulares por meio de eletrovibratografia antes do início do tratamento ortodôntico
Abordagem: A avaliação completa do sistema estomatognático é essencial para diagnóstico e plano de tratamento ortodôntico. Não se devem apenas avaliar aspectos estáticos da oclusão, mas também os funcionais. Os ruídos na articulação temporomandibular são muito frequentes em pacientes adultos. Podem ser um sinal de possível Desordem Temporomandibular (DTM), que interfere no prognóstico e, eventualmente, compromete o resultado do tratamento ortodôntico. Tais ruídos podem ser detectados pelo exame clínico. Mas devido ao caráter subjetivo para avaliação, é recomendável a utilização de exames complementares como a eletrovibratografia, que permite a possível detecção de processos inflamatórios, desarranjos internos da ATM e estágios iniciais de doenças degenerativas em tal região.
   
André Trevisi Zanelato
Professor do curso de Especialização em Ortodontia - Famosp, Presidente Prudente e da Escola de Odontologia, Cuiabá; Professor do curso de Ortodontia - Consolidar e Validar, Porto - Portugal; Professor adjunto de Ortodontia - Universidad Del Desarrollo, Concepcion - Chile.

Tema: Mudanças de paradigmas na utilização de forças em Ortodontia com o uso dos aparelhos autoligados
Abordagem: Da mesma forma como ocorreu no início da década de 1970, quando Andrews apresentou o aparelho Straight-Wire – o primeiro aparelho pré-ajustado – atualmente, a Ortodontia está passando por um novo período revolucionário com relação aos aparelhos fixos. Hoje em dia, os ortodontistas têm, além da opção tradicional dos aparelhos ligados, os aparelhos autoligados, que dispensam o uso de ligaduras para prender os fios nas canaletas dos bráquetes. A simples remoção das ligaduras elimina uma quantidade bastante grande de resistência ao deslizamento, promovendo movimentação ortodôntica mais facilmente. Sendo assim, conceitos de aplicação de força das biomecânicas ortodônticas devem ser revistos e mudanças nos paradigmas estão sendo realizadas para adaptar a prática ortodôntica a esta nova sistemática de tratamento.
   
Andreia Cotrim Ferreira
Mestre e Especialista em Ortodontia - Universidade Cidade de São Paulo; Professora do curso de Especialização em Ortodontia - Instituto Vellini; Coordenadora dos cursos clínicos e laboratoriais de Ortodontia Lingual - Instituto Vellini, São Paulo; Professora do curso de Especialização em Ortodontia - Ciaeso, Santiago, Chile; Coautora do livro Ortodontia: diagnóstico e planejamento clínico; Membro efetivo - ABOL - Associação Brasileira de Ortodontia Lingual.
Tema: Ortodontia lingual
Abordagem: Apresentação baseada nas últimas novidades em aparelhos ortodônticos linguais, tipos de braquetes e tratamentos finalizados.
   
Annelise Nazareth Cunha Ribeiro
Especialista em Ortodontia - Fundecto/USP; Mestre em Ortodontia - Fousp.
Tema: Vias aeríferas superiores: como, quando e porque avaliá-las?
Abordagem: O objetivo da conferência será orientar o ortodontista em que situações devemos avaliar as vias aeríferas superiores, quais exames podem ser utilizados e qual a importância da avaliação desta região nas diferentes fases do crescimento.
   
Antenor Araujo
Professor Titular em Cirurgia e Traumatologia Buco Maxilo Facial - Faculdade de Odontologia de São José dos Campos, Unesp; Fellowship em Oral Surgery - Southwesterm Medical School, Dallas - Texas, USA; Autor dos livros: Cirurgia ortognática, Manual de orientação aos pacientes com vistas à Cirurgia ortognatica e Aspectos atuais da Cirurgia e Traumatologia Buco Maxilo Facial; Coordenador do curso de Residência em Cirurgia e Traumatologia Buco Maxilo Facial - Hospital Policlin e Clínica de Cirurgia e Traumatologia Buco Maxilo Facial Prof. Dr. Antenor Araujo.
Tema: Estabilidade clinica e emocional de pacientes submetidos à cirurgia ortognática
Abordagem: O tema proposto visa atualizar o ortodontista em seu trabalho conjunto com o cirurgião no sentido de obter bons e estáveis resultados num tratamento de pacientes submetidos à cirurgia ortognática. Estamos objetivando mostrar a evolução continua no tratamento destes pacientes, sempre visando a estabilidade clínica e emocional. Procuraremos também conscientizar aos colegas ortodontistas e cirurgiões da grande mudança do perfil dos pacientes devido aos acessos à mídia.
   
Antonio Aparecido Celória
Especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial - APCD Regional Presidente Prudente; Mestre em Ortodontia - Centro de Pesquisas Odontológicas São Leopoldo Mandic; Conselheiro Científico - Revista de Ortodontia; Coordenador do curso de Especialização em Ortodontia - Funorte - Ceodac, Núcleo Maringá/PR.

Tema: Distalização dos primeiros molares permanentes superiores em tratamentos da Classe II, divisão 1: descrição de uma técnica e apresentação de um relato de caso clínico
Abordagem: A exodontia dos segundos molares permanentes superiores, desde que bem planejada, é uma opção de tratamento para correção das más oclusões de Classe II, divisão 1, pois o espaço deixado por essa exodontia permite obtenção rápida da relação molar e facilita a distalização dos primeiros molares. Este procedimento, porém, exige a presença dos terceiros molares permanentes com formas e tamanhos adequados. Pressupondo esses cuidados, a proposta, deste trabalho, além de uma breve revisão da literatura sobre as opções adotadas na distalização dos primeiros molares permanentes superiores, é descrever uma técnica na qual foram utilizados esporões, molas abertas e barra transpalatina.
   
Antônio Carlos de Oliveira Ruellas
Mestre e Doutor em Ortodontia - FO-UFRJ; Professor associado de Ortodontia - FO-UFRJ.
Tema: Mini-implantes: instalação e aplicação mecânica.
Abordagem: Os mini-implantes têm se consolidado como recurso auxiliar no tratamento ortodôntico e, para que sua utilização seja otimizada, devem ser instalados pelo próprio ortodontista. Assim, serão discutidos aspectos que justifiquem a instalação pelo ortodontista, bem como da técnica de instalação e de aplicações clínicas. Serão abordados os princípios mecânicos para diferentes aplicações como ancoragem direta ou indireta para movimentação dentária.
   
Arnaldo Olivato Palhano
Presidente e fundador do Grupo Straight Wire, RJ; Professor e coordenador dos cursos de Especialização em Ortodontia - Faculdade São José e Grupo Straight Wire, RJ; Especialista e mestre em Ortodontia - Policlínica Geral do Rio de Janeiro; Fundador da Sociedade de Ortodontia do Estado do Rio de Janeiro; Membro Internacional - AAO e EOS; Membro - Federação Mundial dos Ortodontistas.

Tema: Protocolo para tratamento das deformidades dento esqueletais
Abordagem: O objetivo desta palestra é dar uma linha definida e ordenada para que o ortodontista tenha uma maior facilidade em determinar o diagnóstico, objetivo, plano de tratamento e prognóstico de seus pacientes. Consiste em visualizar, de uma maneira simples e natural a relação entre as estruturas esqueléticas, tecidos moles e dentes, para que os objetivos do plano do tratamento sejam alcançados. O conhecimento do normal e as causas das anormalidades são de importância fundamental para o sucesso do tratamento. A experiência nos levou a simplificar e colocar novas abordagens de tratamento.
   
Arnaldo Pinzan
Professor Associado da disciplina de Ortodontia da Faculdade de Odontologia de Bauru, da Universidade de São Paulo; Especialista, mestre e doutor em Ortodontia; Docente - FOB-USP.
Tema: Análise de moyers para dentadura mista, confrontando grupos étnicos diferentes.
Abordagem: A análise de moyers é uma das mais aplicadas na fase de dentadura mista. Concebida a partir de valores americanos, como ela se comporta quando aplicada para jovens brasileiros leucodermas, melanodermas, xantodermas e mestiços (feodermas/mulatos e nipobrasileiros)? O trabalho foi realizado em portadores de oclusão normal e medido na dentadura permanente, traduzindo o real tamanho dos dentes estimados a partir do somatório dos quatro incisivos inferiores permanentes.
   
Arno Locks
Pós-doutorado - Royal Dental College of Aarhus, University of Aarhus, Dinamarca; Especialista, mestre e doutor em Ortodontia e Ortopedia Facial - UFRJ e Unesp; Diplomado - Board Brasileiro de Ortodontia e Ortopedia Facial; Professor do curso de Mestrado em Ortodontia - UFSC; Professor dos cursos de Mestrado e Doutorado em Saúde Coletiva - UFSC; Coordenador do curso de Especialização em Ortodontia - UFSC; Professor das disciplinas de Ortodontia - UFSC; Consultor científico - revista Dental Press de Ortodontia e Ortopedia Facial, revista Clínica de Ortodontia e revista Gaúcha de Odontologia; Assessor ad-hoc - revista Brazilian Oral Research (IADR/SBPqO).

Tema: Biomecânica diferenciada para pacientes com problemas periodontais e complexos
Abordagem: Não disponível.
   
Ary Santos-Pinto
Professor adjunto do Departamento de Clínica Infantil e Ortodontia - Faculdade de Odontologia de Araraquara - Unesp; Professor do Programa de Pós-graduação em Ciências Odontológicas - Mestrado e Doutorado em Ortodontia - Unesp Araraquara e Especialização em Ortodontia - Faepo/Gestos/Famosp; Mestre e Doutor - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Visiting professor - Baylor College of Dentistry, Dallas - Texas, USA.

Tema: Biomecânica em Ortodontia.
Abordagem: Utilização de sistemas de força estaticamente determinado e indeterminado para controle da posição de caninos. Na abordagem será enfatizado o tracionamento de caninos e sua movimentação com uso de cantilever e alça retangular reduzindo os efeitos colaterais e iatrogenias. Da mesma forma será enfocado a intrusão de caninos supraerupcionados, verticalização ou distalização de caninos com alças retangulares, cantilever ou alça T.
   
Belini Augusto Villalba Freire-Maia
Especialização e residência em Ortodontia - HRAC-USP (Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais / Centrinho-Bauru); Mestrado e doutorado em Ortodontia - Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (USP); Professor de Ortodontia - Fundecto/USP; Coordenador dos cursos de Ortodontia - APCD Regional Rio Claro.

Tema: Mini-implantes na correção da mordida aberta anterior
Abordagem: Será discutido, com exposição de casos clínicos tratados, sobre a mordida aberta anterior. Suas causas, conseqüências e tratamentos. Enfoque especial será dado ao fechamento da mordida aberta anterior utilizando-se de mini-implantes para intrusão dos segmentos superiores posteriores.
   
Bruno Frazão Gribel
Pós-doutorado - Universidade de Michigan, EUA; Especialista e mestre em Ortodontia - PUC-MG; Doutorando em Radiologia - FOP-Unicamp; Diretor da Compass.
Tema: Aplicações 3D na Ortodontia: tomografias, modelos e prototipagem
Abordagem: A integração de novas tecnologias 3D (tomografias, modelos digitais e prototipagem rápida) criaram uma nova realidade para os diagnósticos, planejamentos e confecção de aparelhos que ajudam ao Ortodontista obter excelência nos resultados, em menos tempo e com mais precisão no diagnóstico e na execução da colagem de braquetes, confecção de alinhadores e instalação de mini-parafusos.
   
Bruno José Martins Pato
Especialista em Ortodontia, experiência de 14 anos com Ortodontia lingual; Mais de 500 casos tratados ou em tratamento com Ortodontia lingual em sua clínica privada; Coordenador do Laboratório Specialty Appliances - Brasil de Ortodontia Lingual: representação do laboratório de Atlanta, um dos desenvolvedores da técnica CLASS de montagem laboratorial; Participa de diversos cursos internacionais de Ortodontia Lingual - American Lingual Orthodontics Association.
Tema: Correção da Classe II com Ortodontia lingual
Abordagem: O objetivo é apresentar maneiras para a correção da CLII do adulto utilizando-se da mecânica ortodôntica lingual. Serão abordadas as correções das CLII divisão primeira e segunda assim como das subdivisões, com terapias que envolvem desde elásticos até cirurgia ortognática passando pelo uso de micro implante para distalização de molares.
   
Carla Renata Sarni
Graduada em Odontologia - Unifenas; Especialista em CTBMF; Destacou-se em sua profissão pela dedicação a trabalhos sociais desenvolvidos desde os tempos de faculdade; Fundadora e Presidente - Grupo Sorridents.

Tema: Empreendedorismo rumo ao sucesso - Técnicas empreendedoras para alcançar o sucesso na área da saúde
Abordagem: A palestra visa mostrar ao cirurgião-dentista, o melhor caminho para alcançar o sucesso, e tornar seu consultório um negócio de sucesso. Contando a trajetória, e história da empresa Sorridents, desde o inicio até se tornar a maior rede de clinicas odontológicas do Brasil.
   
Carlo Marassi
Especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial - USP, Bauru; Mestrado em Ortodontia - CPO SLMandic, Campinas; Coordenador e Professor da Especialização em Ortodontia - Escola Fluminense de Educação; Diretor Científico - Grupo Straight-Wire Rio de Janeiro; Membro internacional da Associação Americana de Ortodontistas, da Federação Mundial

Tema: Tratamento da Classe II.
Abordagem: Devido ao grande número de protocolos e aparelhos para o tratamento da má oclusão de Classe II, o profissional deve saber escolher qual o melhor para o seu paciente. Assim, essa apresentação irá demonstrar quais são os protocolos e aparelhos mais eficientes para o tratamento da má oclusão de Classe II, salientando os pontos positivos e negativos de cada um. Serão demonstradas as vantagens e desvantagens dos distalizadores intrabucais e dos protocolos de extrações. Isso ajudará o clínico em sua decisão em cada caso.
   
Carlos Alberto G. Cabrera
Doutor em Ortodontia, Mestre em Ortodontia e Ortopedia Facial e especialista em Ortodontia e Radiologia - USP, Bauru; Autor dos livros Ortodontia Clínica (português, inglês e espanhol), Ortodontia Operacional - para o profissional e equipe e Orthológica - Soluções Ortodônticas Lógicas; Coordenador do curso de Especialização em Ortodontia - Instituto Cabrera/Herrero, Curitiba/PR.
Tema: Soluções ortodônticas lógicas.
Abordagem: Adotando apenas seis parâmetros: os autores desenvolveram a Equação Biotridimensional Lógica. A partir desta, será demonstrado um novo e inédito conceito de Ortodontia - a OrthoDigital. O uso desta metodologia permite estabelecer o diagnóstico, planejamento e seus respectivos protocolos terapêuticos alternativos individualizados.
   
Carlos Henrique Guimarães Junior
Mestre em Ortodontia - Unicid; Doutor em Ortodontia - FOB-USP; Coordenador do curso de Especialização em Ortodontia - ABO-DF; Coordenador do Programa Anual de Miniresidência - Departamento de Ortodontia, Universidade de Connecticut - EUA.
Tema: Biomecânica dos aparelhos funcionais fixos
Abordagem: O tratamento ortodôntico sem extração tem ganhado popularidade na comunidade ortodôntica desde a segunda metade do século XX. Os aparelhos funcionais fixos vêm sendo utilizados por uma grande quantidade de profissionais por dependerem menos da cooperação dos pacientes. Não se dúvida da eficácia dos aparelhos ortopédicos funcionais removíveis, mas o fato de serem antiestéticos, desconfortáveis e dependerem da cooperação dos pacientes, faz com que um número cada vez maior de ortodontistas sejam adeptos dos aparelhos funcionais fixos.
   
Carlos Martins Coelho Filho
Mestrado em Ortodontia - Unicamp; Professor aposentado da disciplina de Ortodontia - Universidade Federal do Maranhão; Criador do Aparelho de Protração Mandibular - APM; Apresentações e artigos publicados sobre APM no Brasil e no exterior.
Tema: A utilização do APM no tratamento de casos mutilados em adultos
Abordagem: A procura de tratamento ortodôntico por parte de pacientes adultos tem se intensificado nas últimas décadas. Entre os pacientes que demandam esse serviço, muitos apresentam oclusões mutiladas que necessitam de participação multiprofissional. Muito frequentemente o ortodontista está posicionado no primeiro lugar da sequência de intervenções a serem executadas nesses casos, de modo a preparar as condições para que os outros profissionais possam atuar. O APM ocupa lugar destacado entre as ferramentas utilizadas nesse preparo, principalmente como ótimo fornecedor de ancoragem que possa permitir fechamento dos espaços de molares ausentes, além da utilização de protocolos que permitam de forma estável a correção de sobremordidas verticais e trespasses horizontais.
   
Celestino José Prudente Nóbrega
Program Leader - Linhart Continuing Education Program – New York University - College of Dentistry; Doutor em Medicina baseada em evidências; Mestre em Radiologia; Coordenador do curso de Especialização em Ortodontia - Ciodonto/Ortogeo, São José dos Campos.

Tema: Biomecânica autoligante interativa - Conceito e técnica.
Abordagem: Introdução aos sistemas interativo e passivo de acessórios autoligantes interativos; Aspectos biológicos; Fase de alinhamento e nivelamento com acessórios autoligantes interativos: controles sagital e vertical e protocolo de fios; A utilização dos slots diferenciais para fechamento de espaços: importância do conceito de autocinese e otimização da prescrição Roth; Solução de problemas clínicos de difícil controle; Estágio atual das pesquisas relativas à Biomecânica Interativa Autoligante; Apresentação de casos clínicos.
   
Cristian Corrêa
Especialista e mestre em Cirurgia Bucomaxilofacial; Doutor em Implantodontia; Professor doutor do curso de Mestrado em Ortodontia - Uniararas.

Tema: Cirurgia Ortognática: uma visão contemporânea
Abordagem: O diagnóstico e tratamento das deformidades dentofacias sofreu um avanço significativo nos últimos 10 anos. A avaliação dos casos cirúrgicos e sua correta resolução dependem de um trabalho integrado entre o ortodontista e o cirurgião no intuito de obter o melhor resultado estético e funcional que privilegie a via aérea superior e a estabilidade articular. O planejamento cirúrgico convencional foi aperfeiçoado com a utilização de softwares e com a disponibilidade de exames como a polissonografia e a fotografia 3D. O objetivo desta aula é o de desmistificar de maneira clara e objetiva como diagnosticamos, planejamos e executamos a cirurgia ortognática na atualidade.
   
Cristiane Aparecida de Assis Claro
Graduação em Odontologia - Universidade de Taubaté, Unitau; Especialização em Ortodontia e Ortopedia Facial - CTA; Mestrado em Odontologia - Unitau; Doutorado em Ortodontia - Fousp; Pós-doutorado em andamento - FEG-Unesp; Coordenadora do curso de Especialização em Ortodontia - Unitau; Professora Assistente Doutora na disciplina de Ortodontia - Unitau; Editora da revista ClipeOdonto - Unitau.

Tema: Mecânicas intrusivas
Abordagem: Os fatores que influenciam a biomecânica do movimento dentário são responsáveis pelos efeitos distintos das mecânicas intrusivas mais comumente utilizadas pelos ortodontistas. Tais efeitos implicam em distribuições variadas de tensões no ligamento periodontal. Dependendo da magnitude e da concentração destas tensões, o movimento dentário poderá ocorrer da forma esperada ou ainda acompanhada de eventos adversos (reabsorções radiculares e/ou ósseas). Portanto pretende-se abordar diversos aspectos relacionados ao movimento intrusivo e discutir as indicações da intrusão dentária e as expectativas de resultados.
   
Dalton Humberto de Almeida Cardoso
Professor Coordenador do curso de Especialização em OFM - EAP - ABO-DF; Professor do curso de Especialização em OFM - Sobracom, RS; Professor dos cursos de Aperfeiçoamento e Atualização em OFM - SPO.
Tema: OFM - Desafios e dificuldades.
Abordagem: Os desafios e as dificuldades que encontramos no exercício da OFM, nos impulsionam cada vez mais a buscar no próprio organismo os resultados que almejamos. Um tratamento é feito no paciente e pelo próprio paciente. Devemos apenas conhecer e saber os pontos a serem estimulados e de que forma.
   
Daniel Ianni Filho
Mestre - Unesp, Araraquara; Coordenador - Alpha Smile Centro de Cursos e Pesquisas Odontológicas; Coordenador do curso de Especialização em Ortodontia - São Leopoldo Mandic, Campinas; Professor e coordenador dos cursos de Ortodontia avançada nas cidades do Porto e Madri; Professor convidado em cursos de Ortodontia avançada na Tunísia, Marrocos e França; Pesquisador na linha de biomecânica; Orientador de teses - Universidade PrevOdonto, Rio de Janeiro, Universidade de Barcelona e Universidade Cespu, Portugal; Participação no curso de Pós-graduação - Universidade do Porto, Portugal e Universidade V, Paris.
Tema: Mordida aberta esquelética cirúrgica tratada sem cirurgia ortognática - Atualidades e avanços em diagnóstico e tratamento.
Abordagem: Os objetivos deste curso são desafiantes no que diz respeito ao diagnóstico e previsão de crescimento e quanto novas estratégias de tratamento que possibilitem tratar casos de grande dificuldade (cirúrgicos) sem cirurgia ortognática: desafios de diagnóstico, previsão cientifica de: 1) Em quais crianças com mordida aberta o problema se corrigirá espontaneamente ou se transformará em mordida profunda; 2) Como prever os casos de média ou grande dificuldade; 3) Qual caso pode ser corrigido com reorientação ortopédica de crescimento facial e como fazê-lo; 4) Qual caso de grande dificuldade que com o crescimento apresentará no futuro as características e condições de caso cirúrgico; 5) Como as novas tecnologias de tomografia e ressonância magnética podem contribuir no diagnóstico da mordida aberta? Desafios de tratamento: quais as perspectivas atuais ortopédicas e ortodônticas capazes de tratar os casos de grande dificuldade (cirúrgico) sem cirurgia ortognática. Serão mostrados diversos casos clínicos tratados e os diferentes protocolos adequados aos diferentes graus de dificuldade.
   
Daniela Gamba Garib
Professora Associada de Ortodontia - Faculdade de Odontologia de Bauru e Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais, Universidade de São Paulo.
Tema: Tomografia computadorizada: definindo os limites biológicos da movimentação dentária.
Abordagem: Professora Associada de Ortodontia - Faculdade de Odontologia de Bauru e Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais, Universidade de São Paulo.
   
Danilo Marega Borges
Especialista em OFM; Professor assistente do II curso de Especialização em OFM - ABO/DF; Professor convidado do II curso de Especialização em OFM - Sobracom/RS; Professor assistente do curso de Aperfeiçoamento em OFM - SPO.
Tema: Tratamento ortopédico funcional de diferentes oclusopatias com alterações de crescimento facial.
Abordagem: O intuito da explanação é a apresentação de casos clínicos de indivíduos com padrão de crescimento e oclusopatias diferentes tratados com aparelhos ortopédicos funcionais. Será abordado os elementos de diagnóstico, planejamento e condução do tratamento até sua finalização. Um enfoque no que tange a importância de se avaliar, durante o diagnóstico, a tendência de crescimento facial, bem como as alterações funcionais, para a condução correta do tratamento das oclusopatias.
   
Dóris Camargo Martins de Andrade
Doutorado em Odontologia - Unifesp; Especialização em Ortodontia - Associação de Cirurgiões Dentistas de Campinas; Diretora-presidente - Educacional Martins Andrade Ltda.
Tema: A importância de uma pós-graduação para as carreiras profissionais.
Abordagem: O objetivo é mostrar que os pós-graduados fazem a diferença no mercado e que há um nicho para eles por causa do elevado grau de especialização exigido hoje no mundo do trabalho. Esta palestra vai mostrar exatamente isto. Portanto, se você tem dúvida sobre se deve ou não fazer uma Pós, vai sair desta palestra tendo a certeza de que ela é tão essencial quanto foi a sua formação acadêmica.
   
Eduardo Álvares Dainesi
Mestrado, doutorado e pós-doutorado em Ortodontia e Ortopedia Facial - Faculdade de Odontologia de Bauru - USP; Diretor científico e coordenador de cursos de Especialização e de Pós-graduação em Ortodontia - Unies (Centro de Pós-graduação em Odontologia e Saúde); Consultor científico da Revista Clínica de Ortodontia da Dental Press, Revista Orthoscience, Revista Innovations Implant Journal: Biomaterials and Esthetics; Membro efetivo - SBPqO e IADR.
Tema: Orientações clínicas para a eficiência, rapidez e simplicidade da biomecânica de verticalização de molares, na correção do colapso oclusal.
Abordagem: Cada vez mais, a procura por um tratamento reabilitador multidisciplinar tem sido uma constante. Pacientes adultos que há tempos perderam dentes permanentes, principalmente dentes posteriores, retornam com o objetivo de corrigir o colapso oclusal, restabelecendo a estética e a função. Atualmente, com a facilidade de acesso a este tipo de tratamento, torna-se primordial que o ortodontista tenha o conhecimento e o domínio necessário para suprir este desejo e esta demanda. Seguindo os mesmos princípios de mecânica ortodôntica para a sua resolução, encontram-se também as más oclusões com molares inferiores impactados. A impacção pode ser resultante de diversos fatores como a deficiência de crescimento mandibular, mecânica ortodôntica prévia e alteração da via de erupção. Sugere-se que a conduta mais segura, com muito controle da mecânica, seja a verticalização de molares com sistema de alavancas.
   
Eduardo César Werneck
Especialista, mestre e doutor em Ortodontia; Acadêmico Titular - Academia Brasileira de Odontologia; Diretor - Instituto de Ensino e Pesquisa de Cruzeiro - IEPC.
Tema: Fundamentos da disciplina de Alexander no tratamento ortodôntico não cirúrgico das más oclusões de Classe III em adultos.
Abordagem: O tratamento ortodôntico não cirúrgico das más oclusões de Classe III pode ser realizado perante a avaliação de quatro fatores: queixa do paciente, discrepância esquelética não severa entre as bases apicais (maxila e mandíbula), discrepância de modelos e discrepância cefalométrica inferior. A utilização dos princípios da Disciplina de Alexander pode auxiliar com a utilização de bráquetes inferiores com torque negativo na região anterior em conjunto com fios de calibre retangular desde as fases iniciais de nivelamento. A manutenção da inclinação incisal inferior poderá ser possível por meio de elásticos de classe III ainda na fase de nivelamento. O ganho de espaço para o nivelamento do arco inferior poderá ocorrer com stripping incisal, exodontia de incisivo ou exodontia de pré-molares na arcada inferior, e dependente da discrepância de modelos/discrepância cefalométrica inicial. Contudo, dependendo da queixa do paciente e do nível de discrepância esquelética o tratamento ortodôntico poderá ser realizado.
   
Eduardo Sant’Ana
Livre-docente em Cirurgia Bucomaxilofacial - USP, Bauru; Professor da Pós-graduação em Ortodontia e Estomatologia - FOB-USP; Coordenador da Pós-graduação em Cirurgia Bucomaxilofacial - Universidade do Sagrado Coração de Bauru.

Tema: Preparo orto-cirúrgico e cirurgia ortognática através da técnica MBT
Abordagem: Serão abordados aspectos importantes nas fases de tratamento pré-cirúrgico, cirúrgica ortognática, pós-cirúrgico e detalhes de acabamento. Será detalhadamente apresentado o planejado de instalação dos aparelhos e a sequência da biomecânica no preparo pré-cirúrgico. Serão discutidas as vantagens do preparo pré-cirúrgico utilizando o Aparelho Ortodôntico MBT no que se refere ao controle de torque dos dentes anteriores, controle de torques dos caninos, controle de torque dos molares superiores e inferiores e o tempo de do tratamento. Serão apresentados pelo cirurgião através da Filosofia do Arnette os tipos de cirurgias necessárias de acordo com as más oclusões em sintonia com o preparo pré-cirúrgico e a prescrição do aparelho ortodôntico MBT, visando um resultado final estético e funcional, com técnica cirúrgica de splint único predictível e previsível para os pacientes que foram operados. Será apresentada também dentro da filosofia, uma técnica cirúrgica de fixação hibrida na mandíbula, que posiciona passivamente os côndilos e os deixam com estabilidade minimizando os riscos de não união dos fragmentos ósseos e de reabsorção compilar. As vantagens da fase pós-cirúrgicas com menos usos de elásticos inter-maxilares em função do tipo de cirurgias realizadas e o sistema de posicionamento de bráquetes serão detalhadamente discutidos. A obtenção de resultado com estética facial e dental com estabilidade oclusal, além da saúde para as ATMs e vias aéreas respiratórias, serão os focos principais desta apresentação.
   
Emne Hammoud Gumieiro
Doutora - Unifesp; Mestre em Ortodontia - Unicastelo; Especialista em Ortodontia - CFO; Especialista em Dentística Restauradora - USP; Professora do curso de Especialização em Ortodontia - SPO.

Tema: Mecânica ortodôntica e seu enfoque no tratamento das DTMs
Abordagem: O conhecimento dos fatores etiológicos das Desordens Temporomandibulares é de suma importância para a condução fisiológica do tratamento ortodôntico nos pacientes com DTM. Sugestão de um protocolo para priorizar os fatores e minimizar os sinais e sintomas antes ou na vigência da terapêutica ortodôntica. Evolução das DTMs.
   
Ertty Silva
Especialista em Ortodontia; Idealizador e autor do livro Sistemas Ertty - Ortodontia | DTM | Oclusão.

Tema: Tratamentos de alta complexidade – Ortodontia | DTM | Oclusão
Abordagem: A Ortodontia tem passado por uma revolução com o advento das tomografias computadorizadas e das miniplacas. As tomografias são essenciais para um correto diagnóstico e planejamento e as miniplacas para a obtenção de uma remodelação óssea e não apenas movimentação dentária. Essa mudança tem sido muito importante principalmente para tratamento de casos extremamente complexos.
   
Ewaldo Luiz de Andrade
Especialista em Ortodontia; Doutor e mestre em Diagnóstico Bucal - Fousp; Professor de Ortodontia - Soesp; Ex-professor adjunto de Ortodontia - Universidade Guarulhos.
Tema: Utilização da barra transpalatina na correção da Classe II na dentição mista e início da permanente
Abordagem: A correção precoce da posição dos primeiros molares superiores permanentes, durante a dentição mista, promove uma recuperação de espaço para os demais elementos dentários, facilitando o desenvolvimento de arcos dentários mais amplos e bem relacionados entre si e com a face. Os ganhos permanentes de uma correção precoce da Classe II com a BTP contribuirão no desenvolvimento posterior de uma oclusão normal estável na dentição permanente. O emprego na correção precoce de giroversões, mesializações e atresia maxilar torna valioso este recurso ortodôntico, visto que, o mesmo não necessita da cooperação do paciente para a obtenção dos movimentos dentários desejados.
   
Fabrício Pinelli Valarelli
Mestrado e Doutorado em Ortodontia - USP, Bauru; Coordenador da Especialização em Ortodontia - Unies, Bauru; Professor do Mestrado em Ortodontia - Faculdade Ingá, Maringá/PR.
Tema: Utilização de mini-implantes no tratamento dos casos complexos
Abordagem: Desde a utilização dos mini-implantes como ancoragem absoluta na Ortodontia, os casos complexos ou de extrema dificuldade de correção pelo tratamento ortodôntico com sistemas de ancoragem convencionais, tiveram o seu prognóstico melhorado no que diz respeito ao sucesso do tratamento. Dessa forma, os mini-implantes ortodônticos têm contribuído sobremaneira para que o ortodontista consiga atingir os objetivos do tratamento ortodôntico com mais eficiência e menor necessidade de colaboração do paciente.
   
Fátima Rosana Albertini
Cirurgiã-dentista - FOP-Unicamp; Mestre em Saúde da Criança e Adolescente - FCM-Unicamp; Aluna do curso de Especialização em Ortopedia Funcional dos Maxilares - Fapes, São Paulo; Atuação na Odontologia do respirador bucal e sono, tratando os Distúrbios do Sono ligados às obstruções respiratórias, bruxismo, ronco e Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono.
Tema: Tratamento do subdesenvolvimento orofacial, dos maxilares e das vias aéreas no respirador bucal, bruxismo, ronco, Síndrome da apneia e hipopneia obstrutiva do sono na equipe multidisciplinar na criança, adolescentes e adultos
Abordagem: A respiração bucal causa subdesenvolvimento orofacial, e envolve atendimento multidisciplinar: médico medicamentoso e ou cirúrgico e odontológico com aparelhos bucais para atresias dos maxilares. Os xxpansores dos maxilares bem planejados ampliam o espaço intraoral que abriga a língua, aumenta ainda os plano s horizontais e verticais.
Quando há indicações do tratamento médico medicamentoso e ou cirúrgico sempre se faz necessário os expansores dos maxilares, visto a importância da correção das atresias ósseas que abrigam a língua, estruturas moles, e dão suporte e equilíbrio à musculatura orofacial, sendo estas são ligadas ao vazio das vias aéreas respiratórias.
   
Fernanda Angelieri
Mestre em Ortodontia e Ortopedia Funcional dos Maxilares - Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo (FOB-USP); Doutorado em Ortodontia - FOB-USP; Professora Associada - Faculdade da Saúde e Programa de Pós-Graduação em Odontologia, área de concentração Ortodontia, - Universidade Metodista de São Paulo.

Tema: Distalizadores de molares superiores com aparelhos intrabucais fixos com ou sem ancoragem esquelética para correção da má oclusão de Classe II dentária.
Abordagem: A cooperação é um fator determinante para sucesso do tratamento ortodôntico, portanto, protocolos que exijam o mínimo de colaboração são de grande valia. Sendo assim, os distalizadores intrabucais assumem essa função para alcançar resultados satisfatórios ao final do tratamento. Os distalizadores intrabucais diferem quanto ao local de ação, ou seja, atuam por vestibular ou por palatino, sendo que essa diferença pode promover resultados diversos durante a distalização. Outro fator importante é o tipo de ancoragem, que pode ser realizada por meio de pré-molares, com apoio em dois ou quatro dentes. Atualmente, o reforço de ancoragem pode ser realizado por meio de mini-implantes fixados no palato afim de promover uma ancoragem esquelética.
   
Fernando César Torres
Professor Associado - Universidade Cidade de São Paulo (Unicid); Responsável pelo Setor de Ortodontia e Ortopedia Funcional dos Maxilares - Prefeitura Municipal de Louveira, SP; Especialista em Ortodontia; Mestre e doutor em Ortodontia e Odontologia em Saúde Coletiva - Fob-USP; Mini residência - Universidade de Connecticut, EUA.

Tema: A Ortodontia no tratamento do ronco e da apneia do sono - revisão da literatura e apresentação de casos clínicos
Abordagem: Além dos tratamentos convencionais, a abordagem com aparelhos intrabucais em casos de ronco primário e também em casos de apneia obstrutiva do sono, tem sido cada vez mais divulgada na literatura e executada nos consultórios ortodônticos. Porém, é necessário que se tenha um embasamento científico e clínico aprofundado, uma vez que se está lidando com o bem estar e com a saúde do paciente. Esta apresentação tem o objetivo de elucidar alguns aspectos importantes no tratamento em questão, proporcionando ao clínico um maior conhecimento e segurança a respeito deste importante assunto.
   
Fernando Rayes Manhães
Especialista em Ortodontia - Unesp, São José dos Campos; Mestre em Ortodontia - Uniararas, Araras/SP; Professor convidado do Programa de Mestrado em Ortodontia - Uniararas e São Leopoldo Mandic; Professor convidado do curso de Especialização em Ortodontia - São Leopoldo Mandic, Unidade de Fortaleza.

Tema: Ortodontia pré-protética
Abordagem: Com a desmistificação do tratamento ortodôntico do paciente adulto, a procura pela ortodontia aumentou significativamente nos últimos anos. A especialidade se aprimorou com desenvolvimento de novos aparelhos, dispositivos e técnicas diferenciadas para o tratamento destes pacientes, que normalmente apresentam problemas periodontais, perdas dentárias e alguns outros obstáculos que limitam nosso trabalho, mas não o contra-indicam. Abordaremos as indicações, os objetivos, as vantagens e as limitações destes tratamentos com apresentação de casos clínicos.
   
Flávio Siqueira Calçada
Especialista em Ortodontia - Profis/USP; Professor do curso de Especialização em Ortodontia - APCD São José dos Campos; Professor do curso de Especialização em Ortodontia - Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Tema: Relação DTM versus Ortodontia
Abordagem: A literatura tem mostrado resultados divergentes sobre a relação da disfunção temporomandibular (DTM) com as más oclusões, induzindo ao clínico a acreditar que o tratamento ortodôntico possa ser a terapêutica de eleição para tratar a DTM. A conferência tentará mostrar uma abordagem conservadora da DTM, desmistificando a ortodontia como principal método de tratamento dessa alteração.
   
Flávio Cotrim-Ferreira

Mestre em Ortodontia e doutor em Diagnóstico Bucal - Universidade de São Paulo (USP); Diretor - Instituto Prof. Flávio Vellini; Professor Associado do Programa de Mestrado em Ortodontia - Universidade Cidade de São Paulo (Unicid); Coautor do livro Ortodontia - Diagnóstico e planejamento clínico.

Tema: A mecânica ortodôntica no fechamento de espaço com arcos de deslizamento, emprego de alças e auxílio de mini-implantes
Abordagem: A mecânica de fechamento de espaços constitui-se em uma das mais desafiadoras fases do tratamento ortodôntico. Este curso visa apresentar ao ortodontista os requisitos fundamentais para se iniciar uma bem sucedida mecânica de retração anterior, bem como detalhar os métodos que empregam arcos de deslizamento ou alças verticais. Serão também destacados os efeitos colaterais que esta mecânica pode gerar.
   
Flávio Vellini-Ferreira
Doutor, Livre-Docente e Professor Associado pela USP; Coordenador do Curso de Mestrado em Ortodontia da Unicid; Diretor e Coordenador dos cursos de Pós-graduação em Ortodontia do Instituto Prof. Flávio Vellini; Member of the MBT Global Group.

Tema: A mecânica ortodôntica no fechamento de espaço com arcos de deslizamento, emprego de alças e auxílio de mini-implantes
Abordagem: A mecânica de fechamento de espaços constitui-se em uma das mais desafiadoras fases do tratamento ortodôntico. Este curso visa apresentar ao ortodontista os requisitos fundamentais para se iniciar uma bem sucedida mecânica de retração anterior, bem como detalhar os métodos que empregam arcos de deslizamento ou alças verticais. Serão também destacados os efeitos colaterais que esta mecânica pode gerar.
   
Francisco José de M. Macedo
Doutor em Anatomia Funcional: estrutura e ultraestrutura - Universidade de São Paulo; Especialista em Ortopedia Funcional dos Maxilares - CFO; Especialista em CTBMF - EAP-APCD Central; Professor do curso de Especialização em OFM - Associação dos Cirurgiões Dentistas de Campinas, ACDC; Membro da Academia Brasileira de Fisiopatologia Cranioorocervical e da Academia Iberolatinoamericana de Dolor Craneomandibular, AILDC.

Tema: A aplicação da Ortopedia Funcional dos Maxilares nas dentições decídua e mista. Aparatologia, Pistas Diretas Planas e oclusão
Abordagem: O objetivo deste trabalho será demonstrar os recursos disponíveis atualmente para o tratamento oportuno das más oclusões. Será demonstrado o acompanhamento de casos clínicos evidenciando a importância do diagnóstico precoce e da aplicação correta da Ortopedia Funcional dos Maxilares, visando a retomada do crescimento e desenvolvimento harmonioso do Sistema Estomatognático.
   
Gabriel Matos
Especialista em Ortopedia Funcional dos Maxilares; Pós-graduação em Ortodontia e Ortopedia Funcional dos Maxilares - ACDC, Campinas; Professor assistente do curso de Especialização em OFM - Associação dos Cirurgiões Dentistas de Campinas, ACDC; Professor assistente do curso de Especialização em Ortodontia - Alphasmile e São Leopoldo Mandic, Campinas; Membro da Academia Brasileira de Fisiopatologia Cranioorocervical, ABFCOC.

Tema: A aplicação da Ortopedia Funcional dos Maxilares nas dentições decídua e mista. Aparatologia, Pistas Diretas Planas e oclusão
Abordagem: O objetivo deste trabalho será demonstrar os recursos disponíveis atualmente para o tratamento oportuno das más oclusões. Será demonstrado o acompanhamento de casos clínicos evidenciando a importância do diagnóstico precoce e da aplicação correta da Ortopedia Funcional dos Maxilares, visando a retomada do crescimento e desenvolvimento harmonioso do Sistema Estomatognático.
   
Gabriella Rosenbach
Especialista e mestre em Ortodontia - UERJ; Doutora em Odontologia - Universidade de Munique, Alemanha; Professora do curso de Especialização em Ortodontia - ABO Porto Alegre.

Tema: Instabilidade ortodôntica – Reconhecendo o inimigo
Abordagem: Irregularidade dentária; Alterações nos sentidos antero-posterior, transverso e vertical; Casos orto-cirúrgicos. Todo profissional sabe da importância e da necessidade de contenção, mas nem por isso deixou de experimentar recidiva em uma parcela de seus casos. A estabilidade da oclusão obtida na terapia ortodôntica é claramente um objetivo levado em conta no início do tratamento, mas nem sempre baseando-se em critérios embasados cientificamente. A instabilidade da oclusão após o tratamento ortodôntico pode ser, em termos gerais, dividida em duas categorias: mudanças relacionadas ao crescimento, maturação e envelhecimento da dentição; ou também mudanças oclusais relacionadas à instabilidade herdada pelo tratamento ortodôntico. O objetivo desta apresentação é mostrar os conceitos mais atuais sobre a contenção, amplamente ilustrados por casos de sucesso e insucesso clínico.
   
Gastão Moura Neto
Especialista em Ortodontia - Fob-USP, Bauru/SP - Profis; Mestre em Patologia Bucal, FOB-USP, Bauru/SP; Doutorando em Biologia Oral, USC, Bauru/SP; Professor da Sociedade Paulista de Ortodontia (SPO), Unidade Botucatu/SP.
Tema: Tracionamento de caninos inclusos e desfavoráveis
Abordagem: O diagnóstico de caninos inclusos nos direciona à reflexão: tracionamento e/ou exodontia. Durante esses últimos 30 anos de dedicação exclusão à Ortodontia, participamos de muitos planejamentos que foram direcionados à exodontia dos caninos desfavoráveis. Durante nosso doutorado, pesquisamos sobre o movimento dentário induzido e concluímos que podemos "evitar" muitas exodontias de dentes inclusos considerados desfavoráveis. Este novo protocolo favorece o tracionamento dos caninos, evitando as "indesejáveis" reabsorções radiculares dos dentes próximos ao movimento induzido. Apresentaremos o método de diagnóstico preciso através das tomografias volumétricas e o novo protocolo de mecânica de tracionamento com casos clínicos finalizados.
   
Gilberto Cortese
Especialista em Ortodontia; Coordenador do curso de Especialização em Ortodontia e Ortopedia Facial - APCD Jardim Paulista; Responsável pela Ortodontia pré-protética da Cadeira de Prótese Fixaa - Unesp São José dos Campos.
Tema: Ortodontia em adultos
Abordagem: A conferência abordará os seguintes tópicos: Movimentação ortodôntica em pacientes com perda óssea, forças e intervalos de ativação; Ortodontia pré-protética e pré e pós-cirurgia ortognática; Aparelhos autoligados; Alinhadores-Sistema Easy-Aligner.
   
Gilberto Vilanova Queiroz
Especialista em Ortodontia - Profis, USP/Bauru; Mestre e doutor em Ortodontia - Fousp.
Tema: Por que braquetes autoligáveis e fios superelásticos?
Abordagem: Na fase de alinhamento e nivelamento dos arcos dentários, os desvios de primeira e segunda ordem exigem que o fio deslize no interior dos braquetes adjacentes. Os braquetes autoligáveis constituem dispositivos eficientes para eliminar o atrito de ligação, no entanto, mesmo com tais braquetes permanece o binding, que depende da força exercida pelo fio defletido sobre a canaleta. Os fios superelásticos de NiTi complementam o controle do atrito na mecânica de deslizamento porque originam forças constantes de baixa magnitude que impedem o travamento entre fio e canaleta.
   
Gladys Cristina Dominguez Morea
Pós-graduada em Ortodontia e Ortopedia - Universität zu Köln, Colonia, Alemanha; Mestre, doutora e livre-docente - Departamento de Ortodontia, Fousp; Professora livre-docente de Ortodontia - USP.
Tema: Aspectos importantes que devemos saber sobre mini-implnates ortodônticos.
Abordagem: Os mini-implantes ortodônticos representam uma ferramenta impar como acessórios de ancoragem, que nos permitem atingir objetivos de tratamento de forma excelente. Para isto, é fundamental o uso criterioso, visualizando em quais situações mecânicas e em que região podem ser utilizados e conhecer o protocolo de uso. O tema será ilustrado com estudos e casos clínicos.
   
Glauber Fabre Carinhena
Doutorando em Ortodontia; Mestre e Especialista em Ortodontia; Coordenador do curso de Especialização em Ortodontia - Faculdade Norte de Minas - Unidade ESO, São Paulo; Coordenador do curso de Ortodontia em Sistema Damon e MBT – Porto, Portugal; Pós-graduado em Damon System - com Alan Bagden – Springfield, VA, EUA; Diretor Científico da Escola Superior de Odontologia Brasil/Portugalf.
Tema: Ortodontia autoligado passiva - Novas mecânicas ortodônticas.
Abordagem: Atualmente com os novos Braquetes Autoligados e suas mecânicas com redução significante do atrito, que geram forças extremamente baixas, mais confortável ao paciente, é possível que muitos pacientes podem ter uma nova opção de tratamento senão a cirúrgica, de maneira mais biológica, sem forças pesadas, como as exercidas pelos Hyrax. É um moderno sistema utilizado atualmente na Ortodontia, onde o tempo médio de tratamento pode ser reduzido. Novas mecânicas, com excelentes resultados, de tratamentos de Cl II, III, Mordidas Cruzadas em Adultos, Mordidas Abertas, Sobremordida Profunda e menos casos com exodontias, colocam uma nova dinâmica da Clinica Ortodôntica.
   
Guilherme de Araujo Almeida
Mestre e Doutor em Ortodontia e Ortopedia Facial pela Faculdade de Odontologia de Bauru, da Universidade de São Paulo; Professor Adjunto Doutor e Responsável pela Unidade de Odontologia Pediátrica da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Uberlândia; Coordenador do curso de Especialização em Ortodontia da Associação Brasileira de Odontologia - Regional de Uberlândia.

Tema: Limites da compensação ortodôntica: até onde é viável tentar?
Abordagem: O tratamento Ortodôntico deve ser conduzido, para propiciar uma melhora nos aspectos funcionais e estéticos, com um diagnóstico preciso, com uma biomecânica individualizada e respeitar os limites biológicos impostos pela matriz funcional. O componente funcional craniano, composto pela matriz funcional e a unidade esquelética, não apresenta possibilidades ilimitadas de remodelação periostal. Ë dever de todo Ortodontista conhecer estas barreiras e limitações anatômico-funcionais, para que “heroísmos” não sejam tentados, o que coloca a longevidade da dentição e risco a longo prazo. O objetivo deste curso será o de discutir, à luz das evidências científicas mais atuais, quais são os limites seguros para atuação da Ortodontia. Novas abordagens, como o uso de bráquetes autoligáveis passivos, protratores mandibulares e uso de tomografias serão discutidos e ilustrados.
   
Guilherme Janson
Professor titular e chefe do Departamento de Odontopediatria, Ortodontia e Saúde Coletiva - Faculdade de Odontologia de Bauru - USP; Pós-Doutorado em Toronto, Canadá.

Tema: Tratamento da Classe II
Abordagem: Devido ao grande número de protocolos e aparelhos para o tratamento da má oclusão de Classe II, o profissional deve saber escolher qual o melhor para o seu paciente. Assim, essa apresentação irá demonstrar quais são os protocolos e aparelhos mais eficientes para o tratamento da má oclusão de Classe II, salientando os pontos positivos e negativos de cada um. Serão demonstradas as vantagens e desvantagens dos distalizadores intrabucais e dos protocolos de extrações. Isso ajudará o clínico em sua decisão em cada caso.
   
Guiovaldo Paiva
Diretor do Centro de Diagnóstico e Tratamento da ATM; Especialista em Prótese Dental, DTM e Dor Orofacial.

Tema: Ortodontia em pacientes tratados de Disfunção da ATM
Abordagem: Após o tratamento da Disfunção da ATM, 80% dos pacientes adultos tem indicação de Ortodontia como tratamento irreversível. O sucesso do tratamento ortodôntico nesses pacientes encontra-se na manutenção do posicionamento terapêutico da ATM encontrado durante o reposicionamento condilar. Discutir-se-á a manutenção da posição terapêutica durante o tratamento ortodôntico.
   
Helena Regina Tornelli
Especialista em Ortodontia - Soesp; Mestre em Ciências Odontológicas - Clínica Integrada - Fousp; Coordenadora do curso de Ortodontia - SPO.
Tema: Distração osteogênica aliada ao tratamento ortodôntico. Relato de caso clínico
Abordagem: Paciente adulta apresentando sequela de tratamento de fissura labiopalatal unilateral esquerda, com rebordo alveolar ainda fendido, sem sucesso na reconstrução através de enxertos. Apresentamos o uso de um distrator intrabucal com osteotomia segmentar para transporte ósseo e consequente correção da fissura alveolar.
   
Heloisa Cristina Valdrighi
Mestre e doutora em Ortodontia - FOP/Unicamp.
Tema: Preparo ortodôntico em cirurgia ortognática
Abordagem: Não disponível.
   
Henrique Bacci
Especialista e mestrando em Ortodontia e Ortopedia Facial; Autor do livro Ortodontia Lingual: o segredo por trás do sorriso e da técnica de colagem indireta BBS (Bacci Bonding System); Consultor científico Dentsply/GAC; Ministrador de cursos de Excelência em Ortodontia Lingual na América Latina.
Tema: A nova Ortodontia Lingual é autoligante e interativa
Abordagem: Embora seja um desejo de ortodontistas e pacientes, a realização da camuflagem com aparelhos fixos frequentemente se apresenta como uma alternativa pouco aplicável como forma de tratamento de rotina, em virtude de problemas relacionados à fase laboratorial, ao alto custo e à dificuldade de controle mecânico. No entanto, as novas gerações de sistemas linguais oferecem uma gama tão grande de recursos que não deveriam ser desconsiderados pelo ortodontista atual. O propósito dessa conferência é o de demonstrar os recentes conceitos que mudaram a viabilidade da Técnica Lingual, demonstrados por meio de extensa casuística do ministrador e dos protocolos publicados no livro "O Segredo por Trás do Sorriso".
   
Henrique Mascarenhas Villela
Especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial - ABO-BA; Professor dos cursos de Aperfeiçoamento e Especialização em Ortodontia e Ortopedia Facial - ABO-BA; Mestrando em Ortodontia do Programa de Pós- graduação em Odontologia - Uniararas.
Tema: Distalização de molares utilizando miniparafusos ortodônticos
Abordagem: A distalização de molares superiores consiste numa excelente estratégia de tratamento para a correção das más oclusões de Classe II de natureza dento-alveolar ou para a compensação das más oclusões de classe II de natureza esquelética moderada. Esta abordagem vem sendo cada vez mais utilizada por meio de dispositivos que não dependem da colaboração do paciente, com o intuito de tornar os tratamentos mais previsíveis. Com a utilização dos miniparafusos como unidade de ancoragem, as distalizações são executadas eficientemente, sem efeitos colaterais indesejados.
   
Hideo Suzuki
Especialista em Ortodontia - SPO; Mestre em Ortodontia - UCCB; Doutor em Ortodontia - SLMandic.
Tema: Tratamento ortodôntico de compensação. Diagnóstico por análise facial, análise cefalomórfica ou análise cefalométrica?
Abordagem: O padrão morfológico determina possibilidades e limitações no tratamento ortodôntico. Devido às variações de forma, posição, rotação e tamanho das bases ósseas, será apresentado um "novo" método de auxílio no diagnóstico morfológico da discrepância esquelética. As aplicações deste método serão apresentadas e ilustradas com casos clínicos.
   
Hugo Trevisi
Especialista em Ortodontia - Faculdade de Odontologia de Lins; Idealizador da Técnica Ortodôntica Versátil MBT; Coordenador do curso de Especialização - APCD Presidente Prudente.

Tema: Preparo orto-cirúrgico e cirurgia ortognática através da técnica MBT.
Abordagem: Serão abordados aspectos importantes nas fases de tratamento pré-cirúrgico, cirúrgica ortognática, pós-cirúrgico e detalhes de acabamento. Será detalhadamente apresentado o planejado de instalação dos aparelhos e a sequência da biomecânica no preparo pré-cirúrgico. Serão discutidas as vantagens do preparo pré-cirúrgico utilizando o Aparelho Ortodôntico MBT no que se refere ao controle de torque dos dentes anteriores, controle de torques dos caninos, controle de torque dos molares superiores e inferiores e o tempo de do tratamento. Serão apresentados pelo cirurgião através da Filosofia do Arnette os tipos de cirurgias necessárias de acordo com as más oclusões em sintonia com o preparo pré-cirúrgico e a prescrição do aparelho ortodôntico MBT, visando um resultado final estético e funcional, com técnica cirúrgica de splint único predictível e previsível para os pacientes que foram operados. Será apresentada também dentro da filosofia, uma técnica cirúrgica de fixação hibrida na mandíbula, que posiciona passivamente os côndilos e os deixam com estabilidade minimizando os riscos de não união dos fragmentos ósseos e de reabsorção compilar. As vantagens da fase pós-cirúrgicas com menos usos de elásticos inter-maxilares em função do tipo de cirurgias realizadas e o sistema de posicionamento de bráquetes serão detalhadamente discutidos. A obtenção de resultado com estética facial e dental com estabilidade oclusal, além da saúde para as ATMs e vias aéreas respiratórias, serão os focos principais desta apresentação.
   
Hugo Nary Filho
Mestre e Doutor em Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial; Diretor responsável - Instituto Hnary de Odontologia; Cirurgião Responsável - P-I Brånemark Institute em Bauru/SP; Coordenador dos cursos de Especialização em Implantodontia e Cirurgia - P-I Brånemark Institute, Bauru/SP; Consultor científico - Biomet3i.
Tema: Cirurgia Ortognática - planejamento tridimensional
Abordagem: Foco para o planejamento tridimensional em cirurgia ortognática, com análise crítica de métodos de diagnósticos disponíveis e softwares de simulação.
   
Humberto Soliva
Especialista em Ortopedia Funcional dos Maxilares e Ortodontia; Coordenador geral - GEM (Grupo de Estudos Maurício Vaz de Lima); Vice-presidente - Confederação Brasileira de Ortopedia Funcional dos Maxilares; Ministrador da técnica Reabilitação Dinâmica e Funcional dos Maxilares - Abom, Sobracom e diversas entidades representativas da Ortopedia Funcional e Ortodontia.

Tema: Funções e parafunções do sistema estomatognático
Abordagem: Não haveria sentido corrigirmos as posições dos dentes sem dar a devida importância para as funções básicas do sistema estomatognático e também da parafuncionalidade que convive com o homem atual (Homo Sapiens Sapiens), com todos os seus medos e inseguranças. Na visão da escola funcionalista, a chave para o equilíbrio do sistema estomatognático está na recuperação destas funções básicas, que será o determinante para a manutenção das posições corretas de nossos dentes.
   
Ives Lopes Cardoso
Mestre e Doutor em Ortodontia - FOP-Unicamp; Coordenador do curso de Especialização em Ortodontia - Academia Norte Riograndense de Odontologia.

Tema: Análise do sorriso através de checklist dos aspectos estéticos
Abordagem: Considerando a estética do sorriso um dos fatores mais relevantes pela procura de tratamento ortodôntico, a análise sistematizada dos aspectos estéticos presentes no sorriso através de um checklist das características dentolabiais, permite uma fácil visualização dos problemas envolvidos, tornando-se um recurso auxiliar facilitador no registro de dados durante o planejamento de tratamentos interdisciplinares com participação da Ortodontia.
   
João Maria Baptista
Especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial; Professor convidado da pós-graduação em Ortodontia - UFPR; Autor de livros de Ortodontia e de Oclusão.

Tema: Biomecânica de retração anterior (Peixinho): proposição de modificação
Abordagem: O sistema de retração anterior, adotado pela técnica MBT, é uma mecânica de deslize. Portanto, o atrito torna-se inevitável nas interfaces fio-ranhura e fio-luz dos tubos. A proposta descrita neste trabalho tem por objetivo uma redução significativa do atrito, presente nas referidas interfaces. Para tal optou-se por uma mecânica de deslize somente no interior do tubo auxiliar ou do tubo .045” aplicados nos primeiros molares. A associação de sistemas oferecidos pelas técnica segmentadas com o denominado sistema “peixinho” de retração anterior da MBT permitirá uma redução do atrito em torno de 66%. Uma descrição completa do sistema com ilustrações obtidas de manequins e corroboradas com casos clínicos, pretende incentivar o seu uso na clínica ortodôntica. Clinicamente evidencia-se a eficácia desse método para emprego em todas as técnicas Straight-Wire.
   
João Milki Neto
Professor de CTBMF - Universidade de Brasília; Doutor em Implantodontia - USC, Bauru; Fellow em CTBMF - Universidade do Texas, Southwestern Medical Center at Dallas - EUA; Especialista e Mestre em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial - UnB; Membro titular - Colégio Brasileiro de CTBMF.
Tema: Benefício antecipado em cirurgia ortognática: nove anos de experiência.
Abordagem: O tratamento ortodôntico-cirúrgico convencional tem limitações, pois, ao decidir realizar o tratamento, o paciente precisa esperar em média um ano e meio para realizar a cirurgia, bem como, na maioria dos casos, ver a sua aparência facial piorar durante esse período. Isso é um tanto paradoxal, porque muitos pacientes que procuram tratamento, o fazem motivados pela melhora estética, ainda que o tratamento tenha um forte cunho funcional. Em virtude dessa limitação, entre outras, utilizamos em nossas clínicas privadas, desde 2004, uma metodologia de tratamento que antecipa a realização da cirurgia. Esse protocolo se baseia em – após o diagnóstico - planejar extensamente todas as fases do tratamento, montar o aparelho ortodôntico, operar o paciente e, somente depois, realizar o tratamento ortodôntico ativo. Essa metodologia antecipa os benefícios da cirurgia e por isso foi denominada de Benefício Antecipado. Ela não muda de forma significativa a técnica cirúrgica, mas sim o tratamento ortodôntico, tornando-o mais complexo por incorporar a ancoragem esquelética na maior parte dos casos, e requerer um comprometimento do ortodontista em atingir os objetivos traçados ao início. Essa conferência objetiva apresentar esse protocolo.
   
Jorge Abrão
Professor associado do Departamento de Ortodontia - Fousp.

Tema: Tratamento ortodôntico em pacientes adultos
Abordagem: Devido ao aumento das informações pela mídia, vem aumentando cada vez mais o interesse pelo tratamento ortodôntico pelos adultos. O fator estético seguido pelos problemas das disfunções são os grandes responsáveis por esta procura. O profissional deve estar atento aos cuidados especiais que devem ser dados ao adulto, e deve salientar que nunca é tarde para realizar a Ortodontia.
   
Jorge Faber
Professor de Ortodontia - Universidade de Brasília; Mestre em Ortodontia e doutor em Biologia-Morfologia; Revisor de Bioestatística - American Journal of Orthodontics and Dentofacial Orthopedics (AJODO) e outros periódicos.

Tema: Finalização em Ortodontia - Como fechar com chave de ouro.
Abordagem: O tratamento ortodôntico apresenta conceitos sedimentados que podem ser compartimentados de acordo com a fase de tratamento: Diagnóstico, planejamento, execução (mecânica) mecânica e finalização. O diagnóstico é fundamental para sabermos onde atuar, o planejamento traça o caminho de como chegar onde queremos, a mecânica corresponde ao veículo que decidimos utilizar no caminho e a finalização é o trabalho de acabamento dado numa peça bruta, é o que diferencia o bom do ótimo. Nesse curso de 4 horas serão abordados os temas pertinentes à finalização, tais como: 1) Refinamento oclusal – O “encaixe” perfeito; 2) Ajuste oclusal (quando e como realizar); 3) Estética do sorriso – Parâmetros verticais, transversais e design dos tecidos moles; 4) Finalização em pacientes com limitação biológica (reabsorções ósseas e radiculares) – Quais são as prioridades?; 5) Finalização pensando no periodonto. Torques e inclinações radiculares que favorecem a longevidade e tratamento do periodonto; 6) Finalização pensando na reabilitação. Harmonização da ortodontia com a prótese nas regiões anterior e posterior para otimizar estética e função.
   
José Alberto Martelli Filho
Mestre e Especialista em Ortodontia; Especialista em Radiologia; Especialista em Implantes Dentários; Professor Coordenador do curso de Especialização em Ortodontia - APCD Jardim Paulista; Professor Visitante do Programa de Mestrado e Doutorado em Cirurgia BMF - FOP - Unicamp.
Tema: Preparo ortodôntico cirúrgico na atualidade: com ou sem extrações?
Abordagem: Durante décadas, o bom relacionamento entre Ortodontistas e Cirurgiões foi apontado como a chave para o sucesso dos tratamentos Ortodônticos Cirúrgicos. Para que isso seja verdadeiro, será preciso que caminhemos para, além disso: Ortodontistas devem entender como os cirurgiões pensam as correções das deformidades dento-esqueléticas e Cirurgiões, por sua vez, têm que conhecer as possibilidades mecânicas para cada caso em particular. A proposta da conferência é evidenciar a conduta do Ortodontista Contemporâneo frente às necessidades corretivas dos tratamentos ortodônticos cirúrgicos sob o ponto de vista estético e funcional.
   
José Antonio Cappellozza
Especialista em Ortodontia corretiva pela Profis-USP, Bauru/SP; Mestrando em Ortodontia - Universidade do Sagrado Coração (USC), Bauru; Professor assistente de Ortodontia na graduação e de Especialização em Ortodontia na Universidade do Sagrado Coração - USC; Professor assistente do curso de Especialização em Ortodontia na Profis-USP; Professor assistente do curso de tratamento ortodôntico das deformidades dento-esqueléticas no instituto HNARY, Bauru/SP.
Tema: Protocolo de tratamento de Ortodontia: o antes e o depois tão valorizado quanto o durante.
Abordagem: A ação do ortodontista no contexto da Ortodontia contemporânea transcende aparelhos e mecânicas.
   
José Augusto M. Miguel
Especialista em Ortodontia e mestre em Odontologia - UERJ; Doutor em Odontologia - UFRJ; Professor adjunto de Ortodontia - UERJ; Research Fellow - Universidade Carolina do Norte, USA.
Tema: Instabilidade ortodôntica – Reconhecendo o inimigo.
Abordagem: Irregularidade dentária; Alterações nos sentidos antero-posterior, transverso e vertical; Casos orto-cirúrgicos. Todo profissional sabe da importância e da necessidade de contenção, mas nem por isso deixou de experimentar recidiva em uma parcela de seus casos. A estabilidade da oclusão obtida na terapia ortodôntica é claramente um objetivo levado em conta no início do tratamento, mas nem sempre baseando-se em critérios embasados cientificamente. A instabilidade da oclusão após o tratamento ortodôntico pode ser, em termos gerais, dividida em duas categorias: mudanças relacionadas ao crescimento, maturação e envelhecimento da dentição; ou também mudanças oclusais relacionadas à instabilidade herdada pelo tratamento ortodôntico. O objetivo desta apresentação é mostrar os conceitos mais atuais sobre a contenção, amplamente ilustrados por casos de sucesso e insucesso clínico.
   
José Carlos Faria Lago
Mestre em Ortodontia; Especialista em Ortodontia e Ortopedia Funcional dos Maxilares; Especialista em Radiologia Oral e Imaginologia; Professor coordenador de especialização em Ortodontia - Faculdade de Ciências da Saúde de São Paulo e no Sindicato dos Odontologistas Estado de Santa Catarina.

Tema: Arcos ideais individualizados para finalizações ortodônticas
Abordagem: A finalização de um tratamento ortodôntico estável é uma preocupação que acompanha a evolução da ciência ortodôntica desde seus primórdios. A par do aperfeiçoamento dos acessórios programados e fios ortodônticos de última geração, a proposta de um diagrama individualizado para confecção de arcos de finalização fundamentados em achados cefalométricos constitui uma evolução que vem se somar aos pré-requisitos para o desejável equilíbrio final do tratamento.
   
José Eduardo Prado de Souza
Especialista, Mestre e Doutor em Ortodontia e Ortopedia Facial pela FOB-USP; Coordenador do curso de Especialização em Ortodontia da Sobracom - Porto Alegre; e da Sobresp - Santa Maria; Diretor Científico do CEAO/Unicsul - São Paulo; Coordenador do Curso de Pós Graduação em Ortodontia em Lisboa-Portugal.
Tema: Tratamento da Classe II.
Abordagem: Devido ao grande número de protocolos e aparelhos para o tratamento da má oclusão de Classe II, o profissional deve saber escolher qual o melhor para o seu paciente. Assim, essa apresentação irá demonstrar quais são os protocolos e aparelhos mais eficientes para o tratamento da má oclusão de Classe II, salientando os pontos positivos e negativos de cada um. Serão demonstradas as vantagens e desvantagens dos distalizadores intrabucais e dos protocolos de extrações. Isso ajudará o clínico em sua decisão em cada caso.
   
José Fernando C. Henriques
Professor Titular da Disciplina de Ortodontia - FOB-USP; Professor dos cursos de Mestrado e Doutorado - área Ortodontia - FOB-USP; Professor responsável da Disciplina de Ortodontia no Curso de Graduação em Odontologia - FOB-USP; Professor do Curso de Especialização em Ortodontia - FOB-USP e Funbeo; Orientador dos alunos de Iniciação Científica, Especialização, Mestrado, Doutorado e Pós-Doutorado - FOB-USP.
Tema: Distalizadores de molares superiores com aparelhos intrabucais fixos com ou sem ancoragem esquelética para correção da má oclusão de Classe II dentária.
Abordagem: A cooperação é um fator determinante para sucesso do tratamento ortodôntico, portanto, protocolos que exijam o mínimo de colaboração são de grande valia. Sendo assim, os distalizadores intrabucais assumem essa função para alcançar resultados satisfatórios ao final do tratamento. Os distalizadores intrabucais diferem quanto ao local de ação, ou seja, atuam por vestibular ou por palatino, sendo que essa diferença pode promover resultados diversos durante a distalização. Outro fator importante é o tipo de ancoragem, que pode ser realizada por meio de pré-molares, com apoio em dois ou quatro dentes. Atualmente, o reforço de ancoragem pode ser realizado por meio de mini-implantes fixados no palato afim de promover uma ancoragem esquelética.
   
José Rino Neto
Professor livre-docente da Disciplina de Ortodontia - Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo; Professor do curso de Especialização em Ortodontia - FFO-Fundecto, USP.

Tema: Mecânica ortodôntica com braquetes autoligados no preparo para cirurgia ortognática
Abordagem: A Ortodontia pré-cirúrgica constitui-se em uma fase muito importante para a obtenção das metas do tratamento ortodôntico-cirúrgico. Dentre as principais razões que fundamentam esta afirmativa destacamos o controle da mecânica e a previsibilidade dos resultados. Relatos da literatura apontam um prazo médio para a realização desta fase em torno de 12 a 17 meses aproximadamente. Entretanto, é consenso dos profissionais e, sobretudo vontade dos pacientes da realização dos tratamentos ortodônticos em menor tempo possível. Na tentativa de atingirmos este objetivo relevamos os conceitos contemporâneos da redução do atrito na mecânica ortodôntica e atualmente utilizamos uma mecânica com braquetes autoligados associados a fios super elásticos com memória de forma, com a finalidade da obtenção não só da redução do tempo de tratamento, mas também de uma resposta biológica adequada, além de melhor controle da ancoragem.
   
José Valladares Neto
Doutorando em Ortodontia pela Fousp; Mestre em Morfologia; Residência no Hospital de Anomalias Craniofaciais - USP-Bauru; Professor de Ortodontia da UFG; Diplomado pelo Board Brasileiro de Ortodontia.
Tema: Qualidade de vida versus Ortodontia: um desafio para os conceitos tradicionais?
Abordagem: Estudos relatam que a queixa do paciente direcionada à aparência física e aos desdobramentos psicossociais é o fator de maior motivação para a realização do tratamento ortodôntico. Paradoxalmente, a avaliação tradicional para se verificar a necessidade do tratamento se apoia em informações morfológicas. A utilização de indicadores psicométricos objetiva mensurar a qualidade de vida dos pacientes com respeito às necessidades de tratamento e ao desempenho das intervenções terapêuticas. Essa abordagem se soma aos métodos tradicionais e constitui em novo paradigma para a prática clínica.
   
Josmar Frenhan
Graduado em Odontologia - Universidade de Alfenas/MG; Especialista em Ortodontia - CFO; Mestre em Ortodontia - SLMandic; Coordenador e professor do curso de Especialização em Ortodontia - Funorte, Unidade Resende, RJ; Professor do curso de Especialização em Ortodontia - APCD Santo André/SP; Professor do curso de Especialização em Ortodontia - Unicastelo, São Paulo/SP.

Tema: Estabilidade dimensional dos moldes ortodônticos descontaminados.
Abordagem: A preocupação e o conhecimento dos variados tipos de desinfecção de tudo que envolve os processos da Odontologia é uma obrigação dos profissionais. Os moldes de alginato também fazem parte desta preocupação, portanto, o objetivo deste estudo foi avaliar a estabilidade dimensional dos modelos ortodônticos, obtidos a partir de moldes realisados com alginato e submetidos a desinfecção com hipoclorito de sódio (5,25%) e com ácido peracético (0,25%). Após a análise estatística dos resultados, verificamos que não houve diferença, estatisticamente significativa, nas dimensões apresentadas nos modelos que passaram pela desinfecção. Portanto, concluímos que, a desinfecção de moldes de alginato, com hipoclorito de sódio, ou com ácido peracético, não resulta em alteração dimensional dos modelos de gesso. Contudo, com o uso do hipoclorito de sódio a lisura superficial do molde foi a melhor.
   
Júlio César de Oliveira Brant
Mestre em Ortodontia - PUC-MG; Especialista em Radiologia Oral; Professor assistente III do Programa de Mestrado em Ortodontia - PUC-MG, por 18 anos; Professor convidado em diversos programas de Ortodontia do Brasil e da América Latina.
Tema:  
Abordagem: Milhares de ortodontistas estão, atualmente, beneficiando milhões de pacientes através de tratamentos com sistemas de baixa fricção e forças leves. A sistemática utilização dos bráquetes autoligados tem despertado na comunidade ortodôntica uma procura por evidências científicas e clínicas, uma procura por respostas a diversos tópicos relacionados à sua aplicação na clínica ortodôntica. Nessa apresentação serão discutidos os principais pontos relacionados aos bráquetes autoligados: design ideal, benefícios associados à aplicação de forças leves, sequência ideal de arcos, prescrições variáveis, estabilidade dos tratamentos e abordagens interceptativas. Associado a uma revisão crítica da literatura, casos clínicos ilustrarão as mais diversas aplicações dos sistemas autoligados, demonstrando sua versatilidade, simplicidade e eficiência.
   
Julio Cesar Motta Pereira
Professor adjunto do curso de Odontologia e coordenador do Banco de Dentes Humanos - UEFS; Criador de metodologia para estímulo de doação de dentes e outros órgãos humanos; Doutor em Ciências da Saúde - Unifesp/EPM; Mestre em Ortodontia - Umesp; Especialista em Direito Sanitário - UEFS/USP; Especialista em Gestão de Inovação Tecnológica - UEFS; Criador dos afastadores Motta Ortodônticos e Cirúrgicos; do Programa de Higiene Bucal “Minha boca tem língua”; dos higienizadores de língua Motta (MU) e do acessório Motta para tração de dente retido.

Tema: Programa de Higiene Bucal MINHA BOCA TEM LÍNGUA
Abordagem: Nova postura e orientação, respeitando cada pessoa como um ser inteiro, com estímulo, motivação e ações básicas palpáveis, assimiláveis e de eficácia comprovável na melhoria da condição bucal e bem estar geral, elevando a auto-estima das pessoas, com apelos lúdicos, sociais e comportamentais, que interessa a exatamente todas as pessoas vivas, sadias, doentes e em tratamento para recuperação, que elevam a ação dos profissionais da Odontologia de tratadores de dentes, para bons cuidadores das pessoas e dos familiares, que serão orientados pelos pacientes a experimentarem a nova e simples prática, pelos bons resultados que carreiam, ao cuidar da palatabilidade com reflexos positivos na apetência, da sociabilidade pela segurança de não rejeição e isolamento pela halitose, na autoconfiança consequente, bem como na ajuda pelo equilíbrio hídrico do corpo, porque ingerir e eliminar líquido influencia na higiene bucal.
   
Júlio de Araújo Gurgel
Coordenador do curso de Pós-graduação em Odontologia (Ortodontia) - Uniceuma; Professor assistente doutor do departamento de Fonoaudiologia - Unesp, Marília; Professor dos cursos de Especialização - ABO Petrópolis e Unimar, Marília.
Tema: Otimizando a intrusão de molares com mini-implante.
Abordagem: A intrusão de molares já foi considerado um movimento dentário de difícil realização e complexa biomecânica. Atualmente, com o advento dos mini-implantes a intrusão de molares tornou-se um procedimento fácil e de rotina para o ortodontista. Por meio de casos clínicos e evidências científicas serão abordadas as diretrizes biomecânicas que otimizam a intrusão de molares com mini-implantes. Dentre outros aspectos serão detalhados: métodos de determinação e técnica de inserção; o posicionamento dos mini-implantes, os tipos de acessórios, a altura de inserção dos mini-implantes e a quantidade de força utilizada.
   
Jurandir Antonio Barbosa
Mestre e Doutor em Ortodontia; Professor coordenador do curso de Especialização em Ortodontia - ACDC, Campinas; Professor coordenador do curso de Especialização e Mestrado - SLMandic, Campinas e Vila Velha; Professor coordenador do curso de Especialização e Mestrado - Universidade do Porto, Portugal; Relator - Revista Clinica Dental Press.
Tema: Sistema autoligado - Reinventando o dia a dia clínico do ortodontista.
Abordagem: Muitas foram as mudanças que aconteceram na Ortodontia nos últimos 30 anos. Lembro-me da introdução do Straight Wire do Dr. Andrews. Muitos demoraram, até aderir a esse novo sistema. Dentre as mudanças que aconteceram após Straight Wire, sem dúvida o advento dos braquetes autoligados foi a mais notável. O “Sistema Auto-Ligado” vem com conceitos de utilização de fios exóticos com forças bastantes leves associados ao braquete que exerce pouca fricção e desta forma consegue movimentar os dentes biologicamente e sempre controlados pelo equilíbrio da musculatura respeitando a autocinese individual. Vale lembrar que trocar o braquete convencional simplesmente pelo Auto-Ligado, continuando a aplicar e usar o sistema convencional, os resultados não serão observados. A permuta deverá ser através do “Sistema Auto-ligado”, onde além dos braquetes, deverá estar usando fios que contenha Cobre, Níquel e Titânio de qualidade; uso de elásticos leves desde o início do tratamento; consultas a cada 60 dias; troca de fios no mínimo a cada 60 dias. Aí teremos a redução do tempo de tratamento.
   
Karyna Valle Corotti
Mestre e doutora em Ortodontia - Faculdade de Odontologia de Bauru, USP; Professora do curso de Mestrado em Ortodontia - Unicid; Coordenadora do curso de Especialização em Ortodontia - IEO, Bauru / Uniasselvi.
Tema: A articulação temporomandibular e as más oclusões: uma avaliação pela tomografia computadorizada cone beam.
Abordagem: A relação entre as diferentes más oclusões e as características da ATM continua sendo motivo de estudo nos dias de hoje. Recentemente a tomografia computadorizada cone beam (TCCB) passou a ser amplamente utilizada na clínica ortodontia e possibilitou estudos mais detalhados da anatomia da ATM nas diferentes más oclusões com envolvimento esquelético. Desse modo, é possível esclarecer quando e como a análise da ATM pela TCCB é utilizada como parte do diagnóstico e do plano de tratamento ortodôntico. Tais informações tornam o ortodontista um profissional diferenciado, capaz de solicitar e interpretar exames complementares contemporâneos, como a TCCB.
   
Kátia de Jesus Novello Ferrer
Especialista, mestre e doutora em Ortodontia - FOP-Unicamp; Professora coordenadora do curso de Especialização em Ortodontia - APCD Vila Mariana e da São Leopoldo Mandic.

Tema: Desmistificando a biomecânica ortodôntica - Combinando recursos e técnicas.
Abordagem: Como podemos tornar nossa clínica ortodôntica mais fácil e com qualidade empregando recursos e técnicas para minimizar nossos problemas (verticais, sagitais e transversal).
   
Katia Regina Izola Simone
Especialista e Mestre em Ortodontia e Ortopedia Facial; Coordenadora dos cursos de Especialização em Ortodontia - SLMandic, SP e EAP-APCD Central, SP; Professora convidada do curso de Especialização em Ortopedia Funcional - Universidade Federal do Pará (UFPA); Professora convidada do curso de Especialização em Odontopediatria - Escola Superior de Odontologia da Amazônia (ESAMAZ).

Tema: Preparo ortodôntico com braquetes autoligáveis em pacientes com indicação de cirurgia ortognática.
Abordagem: A mecânica com braquetes autoligáveis tem se consagrado pela rapidez de resultados e qualidade na reação óssea. O preparo de pacientes com indicação de cirurgia ortognática com braquetes autoligáveis passivos pode diminuir o tempo de preparo e da fase de finalização, com qualidade óssea e melhores resultados.
   
Laura de Castro Cabrera
Mestre em Ortodontia - USP-Bauru; Professora do curso de Especialização em Ortodontia - Instituto Cabrera; Autora do livro Orthológica - Soluções Ortodônticas Lógicas.
Tema: Soluções ortodônticas lógicas.
Abordagem: Adotando apenas seis parâmetros: os autores desenvolveram a Equação Biotridimensional Lógica. A partir desta, será demonstrado um novo e inédito conceito de Ortodontia - a OrthoDigital. O uso desta metodologia permite estabelecer o diagnóstico, planejamento e seus respectivos protocolos terapêuticos alternativos individualizados.
   
Laura Santa Pereira
Especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial dos Maxilares - SPO; Mestranda em Desordens Temporomandibulares e Dor Orofacial - São Leopoldo Mandic; Professora assistente no curso de Especialização em Ortodontia - SPO.
Tema: A estética do sorriso como objetivo do tratamento ortodôntico - Perspectiva interdisciplinar.
Abordagem: A análise do sorriso é fundamental para nortear o tratamento ortodôntico, sendo muitas vezes necessária a interação multidisciplinar com a estética e Periodontia para a obtenção dos objetivos estéticos.
   
Laurindo Zanco Furquim
Doutor em Patologia Bucal - FOB-USP, Bauru; Especialista em Ortodontia - Profis (Sociedade de Promoção do Fissurado Lábio-Palatal) da FOB-USP, Bauru; Professor Adjunto de Ortodontia do Departamento de Odontologia - Universidade Estadual de Maringá - UEM; Publisher da Editora Dental Press International.
Tema: Avaliação em longo prazo de casos padrão II com deficiência mandibular tratados com Aparelho de Protração Mandibular (APM).
Abordagem: Os pacientes padrão II (Classe II esquelética) possuem, via de regra, deficiência mandibular e raramente protração maxilar. Esses pacientes devem ser tratados com distalização de molar, quando isso for necessário, e compensação dentária inferior através de protrusão com aumento das angulações e inclinações. O aparelho que consegue o maior controle destes procedimentos é o APM. Será demonstrado nesta palestra casos com controle de até dez anos.
   
Leopoldino Capelozza Filho
Mestre em Ortodontia; Fundador do setor de Ortodontia - Centrinho; Doutor em Reabilitação Oral - área de Periodontia; Coordenador do curso de Especialização em Ortodontia - Profis: Professor do curso de Mestrado em Fissuras Orofaciais - HRAC, USP; Coordenador dos cursos de Mestrado e Especialização em Ortodontia - Universidade Sagrado Coração.
Tema: Protocolo de tratamento de Ortodontia: o antes e o depois tão valorizado quanto o durante.
Abordagem: A ação do ortodontista no contexto da Ortodontia contemporânea transcende aparelhos e mecânicas.
   
Liliana Ávila Maltagliati
Mestre e Doutora em Ortodontia - FOB-USP; Professora Visitante do curso de Mestrado em Biologia Oral - USC, Bauru; Coordenadora do curso de Especialização em Ortodontia - APCD–SP e Grupo Straight Wire-RJ; Coordenadora do curso de Tratamento Ortodôntico em Adultos - Cetao-SP; Ministradora do Curso Excelência em Ortodontia - Dental Press; Revisora cientifica - Revista Ortodontia e da Dental Press Journal of Orthodontics.

Tema: Tratamento de casos complexos com o Sistema Autoligado.
Abordagem: Alguns casos ortodônticos exigem um planejamento minucioso e a utilização de aparelhos acessórios ou mecânicas complexas para movimentação dentária adequada. O sistema autoligado, com suas características peculiares tem auxiliado em muitos desses casos, simplificando a mecânica e propondo movimentações dentárias difíceis de serem obtidas com o aparelho convencional. Através de casos clínicos e acompanhamento pós-tratamento, propomos demonstrar a aplicabilidade dessa técnica e a vantagem de ser utilizado nesses casos.
   
Luciana Flaquer Martins
Doutora em Ortodontia - Fousp; Mestre em Ortodontia - Umesp; Especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial - APCD; Coordenadora dos cursos de Especialização em Ortodontia - Ciodonto-SPO ABC.
Tema: Técnicas de diagnóstico e tratamento individualizadas para o paciente adulto - de meia idade
Abordagem: Discorrer sobre o diagnóstico tradicional e por meio de tomografias cone beam, a utilização de aparelhos autoligáveis e o tratamento reformador, de acordo com a queixa principal e necessidade do paciente adulto - de meia idade.
   
Luciano Rezende da Cunha
Mestre  e especialista em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial - UFU e CRO; Atuação nas áreas de cirurgia ortognática e implantes; Membro da Equipe de cirurgia chefiada pelo Dr. João Roberto Gonçalves; Professor nos cursos de especialização em Ortodontia - APCD Araraquara, Unifran - Franca, Sâo Leopoldo Mandic - Campinas, Faepo - Araraquara e Gestos - Araraquara.
Tema: Tratamento interdisciplinar do paciente adulto.
Abordagem: Esta palestra visa elucidar os vários fatores envolvidos no tratamento interdisciplinar do paciente adulto. As diferentes escolhas das possibilidades de tratamento serão abordadas sob a ótica da biomecânica, da ancoragem, dos procedimentos cirúrgicos, da situação periodontal, da estética facial e do sorriso. Informações pertinentes às áreas de ortodontia, implantodontia, reabilitação oral, periodontia e cirurgia buco-maxilo-facial ilustrarão os casos clínicos tratados.
   
Luciano Wagner Ribeiro
Graduado - FOUSP; Especialista em Ortopedia Funcional dos Maxilares - Uniararas; Diretor do Departamento de Ortopedia Funcional dos Maxilares - APCD Central; Membro - Academia Ibero-Latinoamericana de Disfunción Craneomandibular y Dolor Facial - AILDC e Academia Brasileira de Fisiopatologia Crânio-Oro-Cervical - ABFCOC; Professor dos cursos de Especialização em Ortopedia Funcional dos Maxilares - Uniararas e APCD Regional Jardim Paulista.
Tema: Tratamento não cirúrgico de assimetrias faciais
Abordagem: As assimetrias faciais podem estar muitas vezes relacionadas à alterações funcionais presentes em alguns dos diferentes tipos de más oclusões. Assim sendo, os Ortopedistas Funcionais e Ortodontistas devem ficar atentos a assimetrias incipientes que podem estar presentes já nas dentições decíduas e mistas e também aquelas que evoluíram durante anos e estão estabelecidas em pacientes adultos. Quais os meios de diagnóstico utilizar nesses casos? Cirurgia, Ortodontia ou Ortopedia Funcional dos Maxilares, qual caminho seguir?
   
Lucila Massu Y. Akinaga Moreira
Especialista em Ortopedia Facial e Ortodontia - Sindicato dos Odontologistas (Cape); Professora assistente - Grupo Dra. Vanda Domingos.
Tema: Ortodontia em adultos - reabilitação oral
Abordagem: Tratamento ortodôntico em adultos, integrado à reabilitação oral: uma realidade cada vez mais frequente.
   
Luís Antônio de Arruda Aidar
Especialista e Mestre em Ortodontia - Umesp; Doutor em Ciências - Unifesp/EPM; Professor Responsável pela Disciplina de Ortodontia - Faculdade de Odontologia, Unisanta; Coordenador do curso de Especialização em Ortodontia - Unisanta.
Tema: Tratamento ortodôntico em pacientes adultos: abordagem interdisciplinar
Abordagem: O tratamento em pacientes adultos é uma rotina nos consultórios de ortodontia. Apesar das limitações impostas pela discrepância esquelética, problemas periodontais e má oclusão, os objetivos do tratamento são a obtenção de uma oclusão funcional associada a harmonia facial. Serão apresentados casos clínicos com abordagem interdisciplinar (Tratamento Ortodôntico, Cirurgia Ortognática e Restaurações), evidenciando o diagnóstico, plano de tratamento e os resultados obtidos.
   
Luiz Antônio Borelli Barros
Mestre e Doutor em Periodontia - FO Araraquara, Unesp; Professor assistente doutor da Disciplina de Clinica Integrada - FO Araraquara, Unesp; Professor do curso de Especialização em Implantodontia - FAEPO, Araraquara e APCD Araraquara; Professor do curso de Capacitação em Prótese Sobreimplante - APCD Araraquara.
Tema: Manobras clínicas integradas para otimização de resultados estéticos
Abordagem: Objetivo dessa apresentação é mostrar resoluções clínicas envolvendo implantes osseointegrados e outras especialidades clínicas integradas. Será abordado o planejamento, a fase preparatória com Periodontia, Ortodontia, Implantodontia e complementação com reabilitação estética. A integração clínica é o grande fator para obtenção de resultados estéticos e naturais.
   
Luiz Filiphe Gonçalves Canuto
Especialista em Ortodontia - CFO; Mestre e Doutor em Ortodontia - FOB-USP; Professor do curso de Especialização em Ortodontia - ABO-Recife/PE; Consultor Científico - Dental Press Journal of Orthodontics.
Tema: Avaliação da influência da realização da expansão rápida da maxila sobre a recidiva do apinhamento anterossuperior, em casos tratados ortodonticamente sem extrações
Abordagem: A conferência abordará um tópico recentemente pesquisado e publicado pelo conferencista que trata da avaliação da estabilidade pós-contenção do alinhamento dentário anterossuperior de pacientes jovens com apinhamento inicial moderado, submetidos ou não ao procedimento de expansão rápida da maxila durante o tratamento ortodôntico sem extrações. Há décadas, a realização da expansão rápida da maxila tem sido sugerida como um método auxiliar na estabilidade pós-contenção da correção do apinhamento moderado anterossuperior, sendo frequentemente utilizada, mesmo na ausência de deficiência transversal do arco superior. Serão apresentados os resultados de um estudo que teve como objetivo analisar retrospectivamente a estabilidade do alinhamento dentário do segmento anterossuperior de pacientes tratados com ou sem a realização do procedimento de expansão rápida da maxila, visando estabelecer se este procedimento ortopédico teria influência ou não na estabilidade pós-tratamento do alinhamento dentário.
   
Luiz Garcia da Silva
Mestre em Ortodontia - FOB-USP; Especialista em Ortopedia Funcional dos Maxilares - Conselho Federal de Odontologia; Professor de Ortodontia - Faculdade de Odontologia de Caruaru, PE; Coordenador e professor do curso de Especialização em Ortodontia - ABO-PE; Sócio remido - Sociedade Paulista de Ortodontia.

Tema: Conhecimentos e meios necessários para a melhor correção de más oclusões dentárias e dentoesqueléticas
Abordagem: Em nossa conferência, empregando recursos audiovisuais, apresentaremos aos congressistas meios de diagnósticos, procedimentos contemporâneos e ecléticos tais como: tomografia computadorizada, mini-placas, mini-parafuso, alinhadores transparentes autoligaveis, distalizadores telescópicos, AOF e AOM propulsores, usados na clínica particular; ensinados e aplicados no curso de especialização em ortodontia da ABO-PE, com os quais alcançamos excelentes resultados na correção de más oclusões dentárias e esqueléticas, simples e até de severa gravidade.
   
Luiz Renato Paranhos
Pós-doutorado e mestre em Odontologia Legal e Deontologia - FOP/Unicamp; Doutor em Anatomia - FOP/Unicamp; Especialista em Ortodontia - AMO/Dental Press.
Tema: Considerações éticas e legais da responsabilidade profissional do especialista em Ortodontia
Abordagem: Após a promulgação da Lei nº. 8.078, de 11 de setembro de 1990, o Código de Defesa do Consumidor provocou importantes alterações no cenário jurídico brasileiro, proporcionando um maior equilíbrio nas relações travadas entre os consumidores e os fornecedores de produtos e serviços. A partir desta Lei, os cirurgiões dentistas passaram a estabelecer com seus pacientes uma relação de consumo. Desta forma, e, em relação aos problemas éticos e legais contra o profissional da Odontologia, é relevante deixar claro, considerações sobre a natureza obrigacional do cirurgião dentista, especialista em Ortodontia. A responsabilidade do contratado é, normalmente, compreendida entre os riscos previsíveis e as obrigações assumidas. Quando o profissional alerta de forma correta, clara e expressa, diminuem as chances de serem posteriormente cobrados.
   
Marcelo de Melo Quintela
Professor de Graduação e Pós-graduação em Ortodontia - Faculdade de Odontologia da Unimes, Santos/SP; Doutorando em Medicina do Sono - Unifesp, São Paulo/SP; Mestre - São Leopoldo Mandic; Especialista em Ortodontia - Unicastelo e em Ortopedia Funcional dos Maxilares - CFO; Professor Coordenador dos cursos de Capacitação Odontológica em Medicina do Sono - SLMandic, São Paulo/SP; Profissional aprovado junto à Associação Brasileira do Sono para atuação como Dentista do Sono; Responsável pela Clínica e Laboratório Orto & Sono, Santos/SP.
Tema: Mini-implantes na Apneia Obstrutiva do Sono - O sistema Flex-IS. Casos clínicos que demonstram a inclusão do paciente com edentulismo na abordagem odontológica da apneia
Abordagem: O Avanço Mandibular noturno realizado por aparelhos intraorais tem sido bastante eficaz na solução da Apneia do Sono. Até agora os pacientes com edentulismos vinham sendo excluídos do benefício dessa intervenção, devido à ausência de ancoragem dentária. Os mini-implantes, modificados para essa finalidade, podem se constituir numa forma de tratamento designada FLEX-IS – avanço mandibular FLEXÍVEL IMPLANTOSSUPORTADO, com bons resultados nos casos selecionados.
   
Marcio Rodrigues de Almeida
Doutor e mestre em Ortodontia - Faculdade de Odontologia de Bauru, USP; Pós-doutorado em Ortodontia - Faculdade de Odontologia de Bauru, USP; Professor adjunto do curso de Mestrado em Ortodontia - Faculdade de Odontologia Norte do Paraná, Londrina.
Tema: Como otimizar a Ortodontia clínica utilizando a biomecânica.
Abordagem: A busca incessante por uma mecânica ortodôntica de excelência, e com controle dos efeitos colaterais inerentes aos princípios da física, tornou-se uma obsessão entre os que militam na Ortodontia. A associação de recursos biomecânicos tem de certa forma permitida alcançar um melhor controle dos efeitos colaterais advindos da técnica do aparelho pré-ajustado. De fato, conforme se angariam conhecimento e experiência clínica, percebe-se que uma Ortodontia de excelência pode ser executada com qualquer tipo ou sistema de braquetes disponíveis no arsenal ortodôntico. Para tanto, basta se alicerçar em princípios sólidos fundamentados num diagnóstico preciso, plano de tratamento adequado e na utilização de sistemas de forças que minimizem efeitos colaterais, possibilitando maior controle dos movimentos dentários durante a correção das más oclusões. Nesse contexto, os aspirantes a uma Ortodontia eficiente devem direcionar o foco especialmente para os parâmetros estéticos e funcionais durante a elaboração dos objetivos ortodônticos, assim como entender o funcionamento dos diversos aparelhos e dispositivos biomecânicos empregados e elaborados para serem incorporados em qualquer técnica ou filosofia ortodôntica. Desse modo, a presente palestra propõe-se a abordar as novas mudanças de paradigma no diagnóstico e no planejamento ortodôntico com ênfase na estética da face e do sorriso. Além disso, explorará os erros e os efeitos colaterais decorrentes da utilização de arcos contínuos, condição esta que pode dificultar a finalização e aumentar o tempo de tratamento dos casos clínicos.
   
Marco Antonio de O. Almeida
Mestre em Ortodontia - UFRJ; Livre docente em Ortodontia - UERJ; Professor titular da Disciplina de Ortodontia - UERJ; Research Fellow - Universidade Carolina do Norte, USA.
Tema: Instabilidade ortodôntica – Reconhecendo o inimigo.
Abordagem: Irregularidade dentária; Alterações nos sentidos antero-posterior, transverso e vertical; Casos orto-cirúrgicos. Todo profissional sabe da importância e da necessidade de contenção, mas nem por isso deixou de experimentar recidiva em uma parcela de seus casos. A estabilidade da oclusão obtida na terapia ortodôntica é claramente um objetivo levado em conta no início do tratamento, mas nem sempre baseando-se em critérios embasados cientificamente. A instabilidade da oclusão após o tratamento ortodôntico pode ser, em termos gerais, dividida em duas categorias: mudanças relacionadas ao crescimento, maturação e envelhecimento da dentição; ou também mudanças oclusais relacionadas à instabilidade herdada pelo tratamento ortodôntico. O objetivo desta apresentação é mostrar os conceitos mais atuais sobre a contenção, amplamente ilustrados por casos de sucesso e insucesso clínico.
   
Marco Antonio L. Feres
Professor associado doutor, responsável pela disciplina de Ortodontia; Coordenador do curso de pós-graduação em Ortodontia - Universidade Federal do Paraná.
Tema: O adulto e a Ortodontia no mundo contemporâneo: você está realmente preparado para este desafio?
Abordagem: A Ortodontia de ponta, com os inegáveis avanços em tecnologia e ciência, oferece a possibilidade de muita eficiência nos tratamentos. Apresenta, ao mesmo tempo, desafios de grande envergadura que muitas vezes não recebem a devida abordagem durante a formação ortodôntica. Esta apresentação irá demonstrar: as expectativas do adulto como pessoa e como paciente; A equação E/T - eficiência total - que conjuga mecânica, tempo e resultados; Situações clínicas complexas; A prevenção de problemas jurídicos.
   
Marco Aurélio Gouvêa Bomfim
Graduado em Odontologia - Faculdade de Odontologia da UFMG; Especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial - Faculdade de Odontologia da USF; Perito Odontológico - Assembleia Legislativa de Minas Gerais; Fellow da Clínica do Sono - Dalhousie University, Canadá; Desenvolvedor do DAR - Dispositivo Anti-Ronco.
Tema: Odontologia do Sono: uma nova área de atuação para a Ortodontia.
Abordagem: Uma das técnicas da AODS - Abordagem Odontológica aos Distúrbios do Sono, se dá através da utilização de órteses intraorais com objetivo de sustentação ou reposicionamento de estruturas do sistema mastigatório. Os aparelhos usados e as estruturas envolvidas já são de conhecimento da Ortodontia/Ortopedia, tornado, assim, esta especialidade uma das mais indicadas para realização dos tratamentos. Vale lembrar que na avaliação do paciente com distúrbios do sono, frequentemente são identificadas outras necessidades odontológicas o que torna essa abordagem uma nova porta de entrada de pacientes para os consultórios odontológicos.
   
Marcos Augusto Lenza
Doutor em Ortodontia - Universidade de Nebraska, USA; Pós-doutor em Ortodontia - Universidade de Aarhus, Dinamarca; Professor titular - Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Goiás.
Tema: Braquetes autoligados: o que as evidências nos mostram?
Abordagem: Nos últimos anos houve uma proliferação de aparelhos pré-ajustados com tecnologia de dispositivos autoligáveis. Segundo os seus idealizadores, permitem ao profissional a obtenção de excelentes resultados, sem a necessidade de extração de pré-molares, além de propiciarem uma força "fisiológica" leve e contínua para movimentação dentária, gerando baixo nível de atrito e resultando em um tratamento finalizado em um menor período de tempo. O que as evidências cientificas demonstram?
   
Marcos Gabriel do Lago Prieto
Mestre em Ortodontia; Coordenador adjunto do curso de Especialização em Ortodontia - ABO/MS; Membro Diretor - ABOL; Active Member - Wslo (World Society of Lingual Orthodontics); Diplomado pelo BBO.
Tema: Simplicidade e eficiência na Ortodontia Lingual - PSWb.
Abordagem: A palestra trará detalhes de um sistema simples e eficiente de tratar seus pacientes com Ortodontia Lingual, através da utilização do PSWb (Prieto Straight-Wire bracket). Apresentará também noções de mecânica e casos clínicos.
   
Marcos Janson
Especialista e mestre em Ortodontia - FOB-USP, Bauru; Coordenador do curso de Especialização em Ortodontia - Ciodonto, Ribeirão Preto.
Tema: Finalização em Ortodontia - Como fechar com chave de ouro.
Abordagem: O tratamento ortodôntico apresenta conceitos sedimentados que podem ser compartimentados de acordo com a fase de tratamento: Diagnóstico, planejamento, execução (mecânica) mecânica e finalização. O diagnóstico é fundamental para sabermos onde atuar, o planejamento traça o caminho de como chegar onde queremos, a mecânica corresponde ao veículo que decidimos utilizar no caminho e a finalização é o trabalho de acabamento dado numa peça bruta, é o que diferencia o bom do ótimo. Nesse curso de 4 horas serão abordados os temas pertinentes à finalização, tais como: 1) Refinamento oclusal – O “encaixe” perfeito; 2) Ajuste oclusal (quando e como realizar); 3) Estética do sorriso – Parâmetros verticais, transversais e design dos tecidos moles; 4) Finalização em pacientes com limitação biológica (reabsorções ósseas e radiculares) – Quais são as prioridades?; 5) Finalização pensando no periodonto. Torques e inclinações radiculares que favorecem a longevidade e tratamento do periodonto; 6) Finalização pensando na reabilitação. Harmonização da ortodontia com a prótese nas regiões anterior e posterior para otimizar estética e função.
   
Marcos Gribel
Especialista em Ortodontia, OFM, Dor Orofacial e DTM; Autor de vários artigos e capítulos de livros publicados no Brasil e Exterior; Criador de software e aplicativos para análise cefalométrica 2D e 3D; Coordenador do Programa de Educação Continuada em Ortodontia e OFM no Brasil, Itália e Espanha.
Tema: A Ortopedia Funcional na prevenção de oclusopatias.
Abordagem: Levantamentos epidemiológicos da última década mostram uma altíssima prevalência de oclusopatias, já na infância. 33% das crianças brasileiras apresentam classes II, aos três anos de idade. Na mesma faixa etária, 23% apresentam diferentes tipos de mordidas cruzadas. No total, 73% de todas as crianças brasileiras apresentam oclusopatias, o que torna a má oclusão um problema sério de saúde oral. A Ortopedia Funcional dos Maxilares apresenta um grupo de técnicas capazes de atender às necessidades de boa parte deste universo, com recursos terapêuticos simples, eficazes e de baixo custo. Estudos controlados na última década mostram que em várias situações, como por exemplo, mordidas cruzadas, podem ser corrigidas com sucesso sendo estas correções estáveis em 85% dos casos tratados ainda durante a dentição decídua. Durante o minisimpósio serão discutidos recursos terapêuticos objetivando a prevenção e o tratamento de oclusopatias na dentição decídua e início da dentição mista com recursos terapêuticos da OFM, baseado em evidências da literatura contemporânea.
   
Maria Helena Fabri
Especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial - Centro Técnico Aeroespacial, SJC; Mestre em Ortodontia e Ortopedia Facial - Unicastelo; Ministradora de cursos de Ortodontia - Graduação e Pós-graduação - em entidades associativas e particulares desde 1990; Membro - Associação Americana de Ortodontia.

Tema: Bracelift ortodôntico: o sistema Damon e o preenchimento facial.
Abordagem: O envelhecimento faz com que os indivíduos procurem por tratamentos cosméticos caros e invasivos num esforço para manter uma aparência jovem. Pacientes adultos estão utilizando tratamentos ortodônticos como uma ferramenta anti-envelhecimento e estão ganhando não apenas um sorriso bonito, mas em alguns casos, uma estética facial importante. O bracelift ou facelift ortodôntico é um método não invasivo indicado para esses casos, preenchendo ou levantando a face do paciente com o tratamento ortodôntico. Além de dentes alinhados e nivelados, o evidente ganho transversal dos arcos promovido pelo Sistema Damon de braquetes auto ligantes resultarão numa aparência mais jovial e confiante.
   
Maria Regina de Campos Brandão
Especialista em Ortopedia Funcional dos Maxilares - CFO; Especialista em Odontopediatria; Presidente (2007-2008) - Academia Brasileira de Fisiopatologia Crânio-Oro-Cervical - ABFCOC; Membro - ABFCOC e Academia Ibero-Latinoamericana de Disfunción Craneomandibular y Dolor Facial - AILDC; Professora Assistente do curso de Ortopedia Funcional dos Maxilares - Universidade Cruzeiro do Sul, coordenado pela Dra. Wilma Alexandre Simões; Professora do Curso de Atualização em Ortopedia Funcional dos Maxilares - APCD Pinheiros; Idealizadora do método indireto de confecção da Pista Direta Planas e do Plastis Brandão.
Tema: Pista Direta Planas nas mesioclusões.
Abordagem: A Pista Direta Planas é um recurso terapêutico muito interessante usado na Odontopediatria. A inclinação do plano oclusal é corrigida através do acréscimo de resina composta, possibilitando a mudança de posição da mandíbula e consequente estímulo fisiológico para o desenvolvimento da mesma e da maxila. Poderá ser usada em diversos tipos de maloclusões, mas nesta apresentação enfatizaremos a sua aplicação nos casos de mordidas cruzadas anteriores e mesioclusões.
   
Mario Cappellette Junior
Especialista em Radiologia - USF; Mestre em Ortodontia e Ortopedia Facial - Unicastelo; Doutor em Ciências - Unifesp; Coordenador do curso de Especialização em Ortodontia e Ortopedia Facial - ABO São Paulo e Santos, Sindicato dos Odontologistas do Estado de São Paulo e Universidade Federal de São Paulo; Coordenador do Setor de Ortodontia e Ortopedia Facial do Centro do Respirador Bucal da Disciplina de Otorrinolaringologia Pediátrica - Unifesp.
Tema: Utilização da tomografia computadorizada Cone Beam na Ortodontia para avaliação do tratamento da atresia maxilar e síndrome da apneia obstrutiva do sono.
Abordagem: Há algum tempo a tomografia computadorizada vem sendo utilizada na Odontologia para auxílio nos meios de diagnóstico. Hoje podemos notar que este avanço também pode ser utilizado na Ortodontia, para melhor avaliação do tratamento ortodôntico/ortopédico e sua repercussão nas estruturas ósseas e dentárias. A tomografia computadorizada Cone Beam, nos fornece imagens de alta qualidade e com tamanha precisão, que torna obsoleto o s meios convencionais de imagem. Estes exames nos proporcionam imagens em partes específicas da face podendo fazer uma reconstrução em 3D o que enriquece em muito no diagnóstico e avaliação dos resultados obtidos. Este tipo de exame extrapola a área de odontologia, sendo muito útil também na Medicina, especificamente na Otorrinolaringologia para avaliação da dimensão e volume nasal, assim como o espaço aéreo superior em pacientes com retrognatismo mandibular.
   
Mário Vedovello Filho
Graduação em Odontologia - Puccamp; Graduação em Medicina Dentária - Universidade de Lisboa em Portugal; Mestre em Ortodontia - Faculdade de Odontologia de Piracicaba - Unicamp; Doutor em Odontologia - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Graduação em Direito, com inscrição na OAB; Delegado do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo; Coordenador do Programa de Mestrado em Odontologia - Centro Universitário Herminio Ometto Uniararas; Professor Convidado do Programa de Mestrado - Centro de Pesquisas Odontológicas São Leopoldo Mandic, Campinas; Coordenador do curso de Especialização - Escola Cearense de Odontologia em Fortaleza/CE e Faculdade de Odontologia de Recife; Coordenador do curso de Especialização em Odontologia - Faculdade de Tecnologia e Ciências de Salvador; Membro - Conselho Estadual de Educação do Estado de São Paulo (2001/2004, 2007/2009, 2009/2012).
Tema: Interação Ortodontia e Cirurgia: chave de sucesso para resolução dos casos de Disfunção Temporomandibular.
Abordagem: O tratamento das deformidades dentofaciais inclui trabalho conjunto entre o ortodontista e o cirurgião. Uma correta avaliação e abordagem de ambas as especialidades na consulta inicial do paciente cirúrgico determina o sucesso das etapas subsequentes do tratamento. O objetivo desta abordagem é apresentar de forma clara as informações técnicas que devem ser apresentadas pelo ortodontista e cirurgião ao paciente que são submetidos à cirurgia ortognática, assim como frisar a importância do inter-relacionamento destas especialidades no diagnóstico, planejamento e execução dos casos ortodônticos-cirúrgicos.
   
Marinês Quintino Portella
Especialista em Ortodontia - UFPR, Curitiba; Especialista em Morfologia, DTM e Dor Facial - Unifesp, SP; Mestre em Morfologia na Área da Saúde - Unifesp, SP; Professora convidada do curso de Pós-graduação em Ortodontia - UFPR, Curitiba.

Tema: Efeitos do tratamento quimioterápico em pacientes ortodônticos.
Abordagem: O número de indivíduos diagnosticados com câncer tem aumentado muito nos últimos anos. Estima-se que existam cerca de 24,4 milhões de casos prevalentes no mundo e, se a tendência atual não modificar, a incidência aumentará em cerca de 50% em 20 anos. E cerca de 70% dessas pessoas doentes receberão quimioterapia antineoplásica. As principais drogas usadas na quimioterapia causam efeitos colaterais que podem influenciar em um tratamento ortodôntico. Alguns medicamentos utilizados alteram a reabsorção/neoformação óssea, além de alterações dentárias e radiculares quando administrados em crianças. Graças ao avanço terapêutico, indivíduos com leucemia ou tumores levam uma vida praticamente normal e muitas delas apresentam necessidades ortodônticas, tanto no sentido funcional quanto para melhora da auto-estima. Também pode acontecer de, durante o tratamento ortodôntico, o paciente ser diagnosticado com câncer e necessitar quimioterapia. O ortodontista deve ter conhecimento suficiente para saber se deve ou não continuar o tratamento ortodôntico e também para informar ao paciente e/ou seus pais sobre o que pode acontecer, tanto à nível ósseo, impedindo a movimentação dentária ou movimentos exagerados por excesso de reabsorção, quanto à complicações orais como xerostomia, mucosites e neutropenias.
   
Marise de Castro Cabrera
Doutora em Ortodontia - USP-Bauru; Mestre em Ortodontia e Ortopedia Facial; Especialista em Odontopediatria - USP-Bauru; Autora dos livros Ortodontia clínica (português, inglês e espanhol), Ortodontia Operacional - para o profissional e sua equipe e Orthológica - soluções ortodônticas lógicas; Coordenadora do curso de Especialização - Instituto Cabrera/Herrero, Curitiba/PR.
Tema: Soluções ortodônticas lógicas.
Abordagem: Adotando apenas seis parâmetros: os autores desenvolveram a Equação Biotridimensional Lógica. A partir desta, será demonstrado um novo e inédito conceito de Ortodontia - a OrthoDigital. O uso desta metodologia permite estabelecer o diagnóstico, planejamento e seus respectivos protocolos terapêuticos alternativos individualizados.
   
Masato Nobuyasu
Especialista, mestre e doutorando em Ortodontia; Coordenador do curso de Especialização em Ortodontia - Unoeste, Presidente Prudente; Professor do curso de Especialização em Ortodontia em Cuiabá/MT e APCD Regional de Ourinhos; Autor do livro Diagnóstico e Planejamento Ortodôntico (Editora Napoleão - 2008).

Tema: Tratamento integral - Ortopedia esquelética e funcional associados à Ortodontia.
Abordagem: O individuo atual exige de um especialista tratamento abrangente e individual. Uma má oclusão dentária geralmente está associada às alterações esqueléticas funcionais e posturais. Para alcançar os objetos propostos para o tratamento são necessários meios alternativos: aparelhos ortopédicos esqueléticos para reposicionamento, redirecionamento e remodelação óssea; aparelhos ortopédicos faciais funcionais para a normalização das funções; aparelhos ortodônticos para a consolidação da oclusão dentária. Dificilmente obtém-se um resultado com qualidade, beleza e estabilidade sem a associação desses aparelhos.
   
Maurício de Almeida Cardoso
Mestre e doutor em Ortodontia - Universidade Estadual Paulista, Unesp, Araçatuba; Professor assistente dos cursos de Graduação, especialização e mestrado em Ortodontia - Universidade do Sagrado Coração - USC; Professor assistente do curso de Especialização em Ortodontia Corretiva - Profis-USP, Bauru.
Tema: Protocolo de tratamento de Ortodontia: o antes e o depois tão valorizado quanto o durante.
Abordagem: A ação do ortodontista no contexto da Ortodontia contemporânea transcende aparelhos e mecânicas.
   
Maurilo de Mello Lemos
Especialista e Mestre em Ortodontia; Doutorando em Periodontia; Professor visitante - Universidade de Aarhus/Dinamarca; Coordenador do curso de Graduação e Pós-graduação em Ortodontia - Universidade Guarulhos.

Tema: Integração Ortodontia e Periodontia.
Abordagem: Abordagem da integração entre a Ortodontia e a Periodontia e de que forma cada área pode contribuir na otimização dos tratamentos combinados avaliando os efeitos do tratamento ortodôntico nos tecidos periodontais, a movimentação dentária ortodôntica no periodonto comprometido e a prevenção da recidiva do tratamento ortodôntico.
   
Maurício Tatsuei Sakima
Mestre em Ortodontia - Umesp; Coordenador do curso de Especialização - Inapós Presidente Prudente; Professor - Escola de Odontologia de Cuiabá.
Tema: Tratamento interdisciplinar do paciente adulto.
Abordagem: Esta palestra visa elucidar os vários fatores envolvidos no tratamento interdisciplinar do paciente adulto. As diferentes escolhas das possibilidades de tratamento serão abordadas sob a ótica da biomecânica, da ancoragem, dos procedimentos cirúrgicos, da situação periodontal, da estética facial e do sorriso. Informações pertinentes às áreas de ortodontia, implantodontia, reabilitação oral, periodontia e cirurgia buco-maxilo-facial ilustrarão os casos clínicos tratados.
   
Messias Rodrigues
Especialista em Ortodontia - Unitau; Mestre em Radiologia - Fop-Unicamp; Idealizador da técnica Straight Wire simplificada; Autor do livro Técnica Straight Wire simplificada, editado em português, espanhol, inglês e mandarim; Professor do curso de Especialização em Ortodontia - Unitau.
Tema: Considerações acerca da altura facial: até que ponto a análise da face, tem de fato, orientado seus planejamentos.
Abordagem: Será abordada a análise da face como referência para a obtenção do diagnóstico e planejamento ortodôntico, focando a influência da altura facial antero-inferior na determinação da posição final da mandíbula em relação as demais estruturas. Casos clínicos com diferentes abordagens como extrações de molares, premolares, distalizações entre outros ,serão apresentados enfatizando os diferentes resultados e o impacto que cada uma destas opções pode causar no perfil final.
   
Murilo Bovi Corsi
Membro - Academia Ibero-latinoamericana de Disfunción Craeomandibular y Dolor Facial e Academia Brasileira de Fisiopatologia Crânio-Oro-Cervical - ABFCOC; Especialista em Ortopedia Funcional dos Maxilares; Ex-professor do curso de Pós-graduação em nível de Especialização - Uniararas (2002-2011); Vice-diretor do Departamento de Ortopedia Funcional dos Maxilares da Associação Paulista dos Cirurgiões Dentistas - APCD; Estágios com Dr. Pedro Planas (Barcelona), Terry Tanaka (San Diego), Dr. Antoon de Laat (Leuven) e Dra. Patrícia de Fabiannes (Torin).
Tema: Avanço mandibular no tratamento da distoclusão e sua resposta na cabeça da mandíbula e na cartilagem articular em crianças e adultos.
Abordagem: Várias pesquisas nesta última década tem comprovado que o avanço da mandíbula com aparelho ortopédico, usado no tratamento da correção da distoclusão, em crianças e adultos, promove uma mudança no meio biofísico da ATM, produzindo assim, uma remodelação na cabeça da mandíbula e na cartilagem articular. Esta mudança em nível celular promove respostas ósseas na mandíbula que estimulam a remodelação e manutenção da nova posição mandibular.
   
Mustapha Amad Neto
Especialista em Ortodontia pela Unisa; Mestre e Doutor em Odontologia - Diagnóstico Bucal e Radiologia; Mestre em Ortodontia pela Unicid.
Tema: Avaliação da biomecânica ortodôntica aplicada aos miniparafusos de ancoragem ortodôntica.
Abordagem: Percebemos que uma das causas de insucesso da estabilidade dos microparafusos de ancoragem ortodônticas está na biomecânica da aplicação das forças sobre o parafuso. Devemos através do entendimento dos momentos aplicados, evitar os momentos rotacionais que são as principais causas do insucesso. Mostraremos sucintamente algumas das possibilidades de aplicação de forças que tem como objetivo evitar esses momentos indesejáveis.
   
Nelson José Rossi
Especialista, mestre e doutor em Ortodontia - Universidade de Barcelona, Espanha; Coordenador dos Cursos de Especialização - Funorte Tatuapé; Ortodontista clínico desde 1979.

Tema: Manobras simplificadas para otimizar a movimentação dentária na ortodontia corretiva.
Abordagem: Como planejar o início da mecânica para facilitar as fases subseqüentes do tratamento e evitar movimentos indesejados. Serão mostradas manobras simples e eficientes, que podem ser usadas por profissionais que fazem qualquer técnica ou que usam qualquer tipo de braquete. Planejamento otimizado nas fases de alinhamento, retração de caninos e em casos de desgaste interproximal que aceleram o resultado, mesmo com braquetes convencionais.
   
Nise Alonso Manicardi
Especialista em Ortopedia Funcional dos Maxilares e Odontopediatria; Professora assistente do curso de Especialização em OFM - Associação dos Cirurgiões Dentistas de Campinas, ACDC; Membro da Academia Brasileira de Fisiopatologia Cranioorocervical, ABFCOC.
Tema: A aplicação da Ortopedia Funcional dos Maxilares nas dentições decídua e mista. Aparatologia, Pistas Diretas Planas e oclusão.
Abordagem: O objetivo deste trabalho será demonstrar os recursos disponíveis atualmente para o tratamento oportuno das más oclusões. Será demonstrado o acompanhamento de casos clínicos evidenciando a importância do diagnóstico precoce e da aplicação correta da Ortopedia Funcional dos Maxilares, visando a retomada do crescimento e desenvolvimento harmonioso do Sistema Estomatognático.
   
Orlando Santiago Júnior
Mestre em Patofisiologia de órgão e sistemas e em Ortodontia; Coordenador do curso de Especialização em Ortopedia Funcional dos Maxilares - Uniabo/ABO-MG; Membro Titular e Secretário Geral da Academia Mineira de Odontologia - Cadeira 55; Autor de diversos artigos, capítulos de livro e autor do Atlas de construção de aparelhos ortopédicos funcionais.
Tema: Melhora da estética facial - contribuições da Ortopedia Funcional dos Maxilares.
Abordagem: A Odontologia estética corrige hoje com maestria inigualável a situação dentária do sorriso. Porém vários aspectos contribuem para sua beleza além do alinhamento dentário, principalmente aspectos faciais, além da simpatia do indivíduo. Serão abordados uma série de aspectos que a OFM pode contribuir para melhora da estética facial nas diversas fases do desenvolvimento até a idade adulta.
   
Patrícia Valério
PhD; Especialista em OFM - CFO; Doutor em Fisiologia - UFMG; Pesquisador pós-doutor ICB-UFMG; Coordenador do depto. de OFM - Instituto de Ensino Superior Modal; Professora do curso de Especialização em Ortodontia - Universidade de Itaúna; Coordenadora do curso de OFM - Medya Orto, Istambul, Turquia; Professora convidada da pós-graduação - Universidade de Marmara, Turquia, Universidade de Ioannina, Grécia e Universidade de Aveiro, Portugal.
Tema: A Ortopedia Funcional na prevenção de oclusopatias.
Abordagem: Levantamentos epidemiológicos da última década mostram uma altíssima prevalência de oclusopatias, já na infância. 33% das crianças brasileiras apresentam classes II, aos três anos de idade. Na mesma faixa etária, 23% apresentam diferentes tipos de mordidas cruzadas. No total, 73% de todas as crianças brasileiras apresentam oclusopatias, o que torna a má oclusão um problema sério de saúde oral. A Ortopedia Funcional dos Maxilares apresenta um grupo de técnicas capazes de atender às necessidades de boa parte deste universo, com recursos terapêuticos simples, eficazes e de baixo custo. Estudos controlados na última década mostram que em várias situações, como por exemplo, mordidas cruzadas, podem ser corrigidas com sucesso sendo estas correções estáveis em 85% dos casos tratados ainda durante a dentição decídua. Durante o minisimpósio serão discutidos recursos terapêuticos objetivando a prevenção e o tratamento de oclusopatias na dentição decídua e início da dentição mista com recursos terapêuticos da OFM, baseado em evidências da literatura contemporânea.
   
Paulo Alberto Donadelli Nabarro
Mestre e especialista em Ortodontia; Especialista em Ortopedia Funcional dos Maxilares; Pós graduado em Medicina do Sono - AFIP/Instituto do Sono/Unifesp; Coordenador dos cursos de Especialização em Ortodontia; Residência em Ortopedia Funcional dos Maxilares e Extensão em Odontologia do Sono - AMO (Associacão Maringaense de Odontologia).

Tema: A abordagem segura do cirurgião-dentista frente aos pacientes com ronco e apneia obstrutiva do sono.
Abordagem: Exame clínico; Anamnese; Exames complementares; Cefalometria; Interdisciplinaridade; Preditor de sucesso; Protocolo com terapia de suporte antes da instalação do AIO (Aparelho intra-oral); Titulacão de AIO com polissonografia portátil; AIOs para titulacão; Prognóstico; Controles; Efeitos colaterais; Segredo do sucesso; O papel do cirurgião-dentista Medicina do Sono; Casos clínicos.
   
Paulo Cesar de Lyra Braga
Especialista em OFM e em Ortodontia; Ex-presidente - ABOM; Membro honorário - Academia Brasileira de Odontologia Militar.

Tema: A Ortopedia Funcional dos Maxilares: uma ciência, uma paixão.
Abordagem: A OFM é uma ciência que precisa ser conhecida para a evolução não só das técnicas corretivas, mas da Odontologia como um todo. É preciso conhecer o indivíduo como um todo inteiro em cada uma de suas partes. As idéias mecanicistas devem dar lugar a um ideal funcional, objetivando no final o equilíbrio do sistema estomatognático.
   
Priscilla Campanatti Chibebe Catharino
Especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial; Mestre em Periodontia - Universidade de Taubaté; Doutoranda em Ortodontia - Universidade de São Paulo.

Tema: Carga imediata favorece ou não a cicatrização óssea de mini-implantes ortodônticos?
Abordagem: Será abordada a evolução do processo de cicatrização do osso circundante aos mini-implantes ortodônticos quando submetidos ou não à aplicação da carga imediata. Foi realizado um monitoramento histológico, histomorfométrico e radiográfico durante os dois primeiros meses após a inserção dos mini-implantes, em tíbias de coelhos.
   
Rachelle Simões Reis
Mestre e Doutora em Ortodontia - Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo.

Tema: Distalizadores intrabucais: Uma abordagem clínica e científica. Como e quando utilizá-los.
Abordagem: Os distalizadores intrabucais passaram a ter evidência no arsenal ortodôntico, pois possuem o mérito de distalização dos molares superiores sem a colaboração dos pacientes. Apesar da exigência mínima de cooperação, os distalizadores devem ser utilizados com ressalvas, pois os efeitos adversos produzidos por estes, como acentuada angulação para distal das coroas dos molares e perda de ancoragem dos dentes anteriores, tornam necessários a utilização de outros mecanismos de ancoragem, como os elásticos intermaxilares e aparelho extrabucal, e; os contra-indicam em casos de Classe II com discrepâncias verticais, sagitais e apinhamentos severos. A distalização dos molares superiores com estes dispositivos requer, mesmo quando utilizados sob ancoragem esquelética, uma mecânica ortodôntica corretiva, a fim de retrair os dentes ântero-superiores após a distalização dos molares.
   
Rafael Bicalho
Especialista em Ortodontia - Abeno/SP; Professor do curso de Fotografia Digital e Otimização de Imagens - ABO/DF; Professor do curso de Ancoragem Esquelética - ABO/DF; Membro da Associação Americana de Ortodontia.
Tema: Limites da compensação ortodôntica: até onde é viável tentar?
Abordagem: O tratamento Ortodôntico deve ser conduzido, para propiciar uma melhora nos aspectos funcionais e estéticos, com um diagnóstico preciso, com uma biomecânica individualizada e respeitar os limites biológicos impostos pela matriz funcional. O componente funcional craniano, composto pela matriz funcional e a unidade esquelética, não apresenta possibilidades ilimitadas de remodelação periostal. Ë dever de todo Ortodontista conhecer estas barreiras e limitações anatômico-funcionais, para que “heroísmos” não sejam tentados, o que coloca a longevidade da dentição e risco a longo prazo. O objetivo deste curso será o de discutir, à luz das evidências científicas mais atuais, quais são os limites seguros para atuação da Ortodontia. Novas abordagens, como o uso de bráquetes autoligáveis passivos, protratores mandibulares e uso de tomografias serão discutidos e ilustrados.
   
Rafael Pinelli Henriques
Especialista, mestre e doutor em Ortodontia - FOB-USP, Bauru; Diretor - COPH (Centro Odontológico Pinelli Henriques), Unidade Bauru, SP.

Tema: Tratamento da má-oclusão de Classe II com propulsores mandibulares.
Abordagem: Os propulsores mandibulares atuam proporcionando o avanço mandibular em pacientes que apresentam má-oclusão de Classe II. São aparelhos ortopédicos fixos, portanto não dependem da colaboração dos pacientes no sentido de utilização, com isso apresentando geralmente um prognóstico mais favorável nas correções deste tipo de má-oclusão.
   
Regina Ascenção Pequeneza
Mestre em Odontologia - área de concentração em Ortodontia; Professora de Especialização em Ortodontia - SPO São Paulo.
Tema: Conceitos importantes no tratamento ortodôntico de pacientes com obstrução das vias aéreas.
Abordagem: Trata-se da importância do conhecimento de algumas alterações na face e na cavidade bucal, capazes de diagnosticar o paciente respirador bucal e possíveis sequelas quando não tratado.
   
Reginaldo César Trevisi Zanelato
Mestre em Ortodontia - Umesp; Coordenador do curso de Especialização - Inapós Presidente Prudente; Professor - Escola de Odontologia de Cuiabá.
Tema: Preparo orto-cirúrgico e cirurgia ortognática através da técnica MBT.
Abordagem: Serão abordados aspectos importantes nas fases de tratamento pré-cirúrgico, cirúrgica ortognática, pós-cirúrgico e detalhes de acabamento. Será detalhadamente apresentado o planejado de instalação dos aparelhos e a sequência da biomecânica no preparo pré-cirúrgico. Serão discutidas as vantagens do preparo pré-cirúrgico utilizando o Aparelho Ortodôntico MBT no que se refere ao controle de torque dos dentes anteriores, controle de torques dos caninos, controle de torque dos molares superiores e inferiores e o tempo de do tratamento. Serão apresentados pelo cirurgião através da Filosofia do Arnette os tipos de cirurgias necessárias de acordo com as más oclusões em sintonia com o preparo pré-cirúrgico e a prescrição do aparelho ortodôntico MBT, visando um resultado final estético e funcional, com técnica cirúrgica de splint único predictível e previsível para os pacientes que foram operados. Será apresentada também dentro da filosofia, uma técnica cirúrgica de fixação hibrida na mandíbula, que posiciona passivamente os côndilos e os deixam com estabilidade minimizando os riscos de não união dos fragmentos ósseos e de reabsorção compilar. As vantagens da fase pós-cirúrgicas com menos usos de elásticos inter-maxilares em função do tipo de cirurgias realizadas e o sistema de posicionamento de bráquetes serão detalhadamente discutidos. A obtenção de resultado com estética facial e dental com estabilidade oclusal, além da saúde para as ATMs e vias aéreas respiratórias, serão os focos principais desta apresentação.
   
Renata Calixto Lopes Feres
Especialista e mestre em Ortodontia - Umesp; Professora do curso de Pós-graduação em Ortodontia - Universidade Federal do Paraná; Áreas de atuação – Ortodontia e Odontologia do Sono.

Tema: O papel do ortodontista no diagnóstico e no tratamento da apnéia obstrutiva do sono em crianças.
Abordagem: Apresentar a incidência do problema e o impacto em nossa especialidade; Demonstrar a importância do diagnóstico precoce da apneia obstrutiva do sono em crianças; Como a Ortodontia pode abordar e solucionar este problema?; Apresentar os tratamentos mais eficientes  nos pacientes apneicos.
   
Renata Cristina Faria Ribeiro de Castro
Especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial - CFO; Mestre e Doutora em Ortodontia - Faculdade de Odontologia de Bauru-USP; Pós-doutorado em Saúde Coletiva - Faculdade de Odontologia de Piracicaba - Unicamp; Miniresidência em Ortodontia - University of Michigan School of Dentistry; Professora da graduação e do mestrado em Biologia Oral, área de concentração Ortodontia - Universidade Sagrado Coração, Bauru/SP.

Tema: Aplicação clínica do aparelho ortopédico fixo híbrido Forsus associado aos braquetes autoligáveis no tratamento tardio da má oclusão de Classe II.
Abordagem: A principal vantagem do tratamento da má oclusão de Classe II esquelética com aparelho ortopédico fixo é o avanço não cirúrgico da mandíbula. Não é de hoje que a literatura ortodôntica mundial vem evidenciando que o padrão de crescimento facial II é determinado precocemente e responde exclusivamente ao comando genético, sendo assim, independente da escolha do aparelho ortopédico funcional ou mecânico, as alterações são, na maioria, dentoalveolares. Desta forma, a idade do paciente não é mais considerada um critério de exclusão para o tratamento tardio da má oclusão de Classe II, com uso de aparelhos ortopédicos. Por outro lado, o mercado de trabalho atual exige protocolos de tratamento que alcancem uma boa finalização ortodôntica, em um menor tempo possível e com maior conforto para o paciente, ou seja, com resultados previsíveis. O aparelho ortopédico fixo híbrido Forsus oferece essas vantagens, suportam às forças da mastigação e não necessita de fase laboratorial. Os resultados deste protocolo de tratamento serão discutidos com base em tomografias cone-beam antes e após a terapia, associado aos braquetes autoligáveis.
   
Renata de Cássia Gonçalves
Mestre e doutoranda em Ortodontia - Faculdade de Odontologia de Araraquara - Unesp.
Tema: Trainer for Kids (T4K), um único aparelho para o tratamento de diversos tipos de má oclusão.
Abordagem: O Trainer for Kids (T4K) é um aparelho funcional pré-fabricado indicado no tratamento precoce da má oclusão de Classe I e II, associadas a apinhamento dentário, mordida aberta anterior, mordida profunda e hábitos bucais (sucção de dedo e/ou chupeta, deglutição atípica, interposição lingual, respiração bucal).
   
Renata Rodrigues de Almeida Pedrin
Mestre e Doutora em Ortodontia - Faculdade de Odontologia de Bauru-USP; Pós-doutorado em Ortodontia - FOB-USP; Professora doutora da Graduação e Pós-graduação - Universidade do Sagrado Coração, USC-Bauru.
Tema: Otimização do tratamento da Classe II com mini-implantes.
Abordagem: A busca incessante por um tratamento ortodôntico de excelência, eficiente e com controle dos efeitos colaterais, tornou-se uma obsessão na pratica Ortodôntica. A utilização dos mini-implantes como unidade de ancoragem, tem permitido alcançar melhor controle dos efeitos colaterais. Essa apresentação tem por finalidade mostrar a eficiência na correção da Classe II com o uso do Pendulum modificado com ancoragem em mini-implantes.
   
Renata de Souza Lessa
Mestre em Ortodontia - SLM/Campinas; Professora e coordenadora do curso de Especialização em Ortodontia - SLM/RJ; Ortodontista e odontopediatra - equipe do Prof. Carlo Marassi; Consultora clínica de Programas Universitários - Dentsply.

Tema: Soluções práticas de pós-tratamento com o sistema Essix Clear Aligner.
Abordagem: Após o tratamento ortodôntico nos deparamos com recidivas e contenções, hoje existem inúmeras técnicas de como otimizar o paciente ao uso de contenções e principalmente com pequenas recidivas, usamos os alinhadores estéticos como soluções para esses casos e sem setups, usando o Essix clear aligner com seus ativadores ,os alicates thermopliers para melhorar nossas finalizações e principalmente para não termos que lançar mão de recolocar o aparelho, usando apenas um alinhador como tratamento de recidivas e como contenção ao mesmo tempo.
   
Renato Castro de Almeida
Especialista em Ortodontia - CFO; Especialista em Radiologia - FOP/Unicamp; Mestre e Doutor em Ortodontia - FOP/Unicamp; Membro da Tweed Foundation - Arizona, USA; Professor e Coordenador do curso de Especialização de Ortodontia - SPO.

Tema: A radiografia panorâmica digital na análise da dentição mista.
Abordagem: Com o avanço da tecnologia, a radiografia digital é uma realidade da Odontologia atual. Então, devemos incorporar essa tecnologia para otimizar o seu uso na Ortodontia também. A troca de quatro radiografias periapicais por uma radiografia panorâmica digital, representa uma menor quantidade de radiação ionizante. Portanto a utilização da radiografia panorâmica digital na análise de dentição mista possibilita maior qualidade no seu diagnóstico, com maior comodidade ao paciente.
   
Ricardo Moresca
Especialista em Ortodontia - UFPR; Mestre em Ortodontia - Umesp; Doutor em Ortodontia - Fousp; Professor da Graduação e Pós-graduação - UFPR; Coordenador do curso de Especialização em Ortodontia - UP; Professor do Programa de Mestrado em Odontologia Clínica - UP.
Tema: Estratégias eficazes para o tratamento da Classe II com ancoragem esquelética.
Abordagem: O tratamento da Classe II é sempre um desafio para o ortodontista e pode ser realizado de diferentes maneiras, de acordo com as características etiológicas e dependendo do estágio de crescimento em que o paciente se encontra. A introdução da ancoragem esquelética permitiu que as diversas modalidades de tratamento existentes pudessem ser revistas e atualizadas. O objetivo desta apresentação será discutir as diferentes possibilidades de tratamento da Classe II oferecidas pela ancoragem esquelética, permitindo a obtenção de melhores resultados, menor tempo de tratamento e mecânicas mais simples, mesmo em casos complexos.
   
Ricardo Fidos Horliana
Mestre e doutor em Ortodontia - Universidade de São Paulo, USP; Professor adjunto do Departamento de Ortodontia e professor assistente do curso de Especialização em Ortodontia e Ortopedia Facial - Universidade Santa Cecília, Unisanta; Membro da equipe do curso de Atualização em Tratamento de Pacientes Adultos com Auxílio de Mini-implantes do Departamento de Ortodontia e Odontopediatria – Fousp; Coordenador do Departamento de Ortodontia - Associação dos Cirurgiões-Dentistas da Baixada Santista, ACDBS Regional APCD.
Tema: Tratamento da mordida aberta anterior em adultos com auxílio de mini-implantes: evidências clínicas e científicas.
Abordagem: Um dos grandes desafios ao Ortodontista é o tratamento da mordida aberta anterior em pacientes adultos. Com base em evidências clínicas e científicas, dando ênfase ao diagnóstico, plano de tratamento e biomecânica, apresentaremos os requisitos necessários para o tratamento desta má oclusão com o emprego de protocolos seguros auxiliados por mini-implantes para ancoragem ortodôntica.
   
Ricardo Luiz de Lima Barbosa
Mestre e doutor - USP; Especialista em Ortodontia e Ortopedia Funcional dos Maxilares; Membro - American Association of Orthodontics & Dentofacial Orthopedics; Fellow - International College of Dentists.
Tema: Planejamento ortodôntico para Invisalign.
Abordagem: Serão apresentadas novas ferramentas de diagnóstico e tratamento com o uso do Invisalign.
   
Roberto Henrique C. Grec
Especialista em Odontopediatria - HRAC-USP; Especialista em Ortodontia; Mestre em Ortodontia  - FOB-USP; Doutorando em Ortodontia - FOB-USP.
Tema: Distalizadores de molares superiores com aparelhos intrabucais fixos com ou sem ancoragem esquelética para correção da má oclusão de Classe II dentária.
Abordagem: A cooperação é um fator determinante para sucesso do tratamento ortodôntico, portanto, protocolos que exijam o mínimo de colaboração são de grande valia. Sendo assim, os distalizadores intrabucais assumem essa função para alcançar resultados satisfatórios ao final do tratamento. Os distalizadores intrabucais diferem quanto ao local de ação, ou seja, atuam por vestibular ou por palatino, sendo que essa diferença pode promover resultados diversos durante a distalização. Outro fator importante é o tipo de ancoragem, que pode ser realizada por meio de pré-molares, com apoio em dois ou quatro dentes. Atualmente, o reforço de ancoragem pode ser realizado por meio de mini-implantes fixados no palato afim de promover uma ancoragem esquelética.
   
Roberto Macoto Suguimoto
Especialista em Ortodontia - UFPR; Mestre em Ortodontia - Umesp; Doutor em Ortodontia - Fousp; Professor da Graduação e Pós-graduação - UFPR; Coordenador do curso de Especialização em Ortodontia - UP; Professor do Programa de Mestrado em Odontologia Clínica - UP.
Tema: Importância do posicionamento dos incisivos no preparo ortodôntico pré-cirúrgico.
Abordagem: Para podermos atingir os resultados estéticos e funcionais almejados na cirurgia ortognática, uma das chaves do sucesso se refere ao posicionamento dos incisivos. Por meio destes, harmonizamos o sorriso e uma das principais funções, a guia incisiva. O objetivo desta apresentação é sugerir aos ortodontistas um método simples e eficaz baseados em evidências científicas e clínicas.
   
Rogério Margonar
Especialista em Implantodontia - APCD Araraquara; Mestre e doutor em Periodontia e professor colaborador do programa de Pós-graduação em Odontologia - Unesp, Araraquara; Professor das disciplinas de Clínica Integrada e Periodontia e coordenador do curso de Mestrado em Ciências Odontológicas, área de concentração em Implantodontia e Ortodontia - Uniara, Araraquara.
Tema: Tratamento interdisciplinar do paciente adulto.
Abordagem: Esta palestra visa elucidar os vários fatores envolvidos no tratamento interdisciplinar do paciente adulto. As diferentes escolhas das possibilidades de tratamento serão abordadas sob a ótica da biomecânica, da ancoragem, dos procedimentos cirúrgicos, da situação periodontal, da estética facial e do sorriso. Informações pertinentes às áreas de ortodontia, implantodontia, reabilitação oral, periodontia e cirurgia buco-maxilo-facial ilustrarão os casos clínicos tratados.
   
Rogério Schmidt Armando
Especialista em Radiologia - Universidade Camilo Castelo Branco; Especialista e mestre em Ortodontia - Universidade Metodista de São Paulo; Coordenador e professor do curso de Especialização em Ortodontia - Faculdade Unidas do Norte de Minas e Faculdade Integração Tietê; Professor dos cursos de Extensão - IFDS - Miami International Fundation For Dental School; Professor 3M Ortoevolução.

Tema: VPO (Variable Prescription Orthodontics) na mecânica em braquetes alto-ligados.
Abordagem: Após anos de estudos com braquetes altos-ligados foi verificado a necessidade das diferentes prescrições de torque (high, medium e low) para uma melhor eficiência no diagnostico e tratamento de pacientes que necessitam compensação dentária na mecânica ortodôntico com braquetes alto-ligado na clínica atual, evitando assim necessidade de mecânicas mas invasivas.  O presente estudo tem o objetivo de orientar o ortodontista a individualizar o tratamento ortodôntico afim de obter mais eficiência na finalização.
   
Rolf Marçon Faltin
DDS, MSc, PhD; Mestre em Biologia Celular e Tecidual - Universidade de São Paulo (ICB/USP); Doutor e especialista em Ortodontia-Ortopedia Facial - Universidade de Ulm, Alemanha; Professor Convidado do curso de Graduação e Pós-graduação em Ortodontia-Ortopedia Facial - Departamento de Odontologia, Unip; Professor convidado - Departamento de Ortodontia, Universidade de Ulm, Alemanha; Pesquisador Associado - Laboratório de Biologia dos Tecidos Mineralizados (LBTM), Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da Universidade de São Paulo (USP); Fellow - World Federation of Orthodontics (Federação Mundial de Ortodontia); Membro - Sociedade Europeia de Ortodontia (European Orthodontic Society). Sociedade Alemã de Ortodontia (Deutsche Gesellschaft für Kieferorthopädie) e Associação Brasileira de Ortodontia (ABOR).

Tema: Ortodontia estética: uma alternativa de sucesso com o sistema Clear-Aligner.
Abordagem: Inovações tecnológicas, materiais e métodos estéticos e confortáveis para o tratamento ortodôntico representam uma crescente demanda tanto pelos pacientes como pelos profissionais. O sistema Clear-Aligner une os benefícios estéticos a uma ampla indicação de tratamento ortodôntico com eficiência de resultados. Unir o bem-estar com a eficácia de tratamentos estéticos alternativos é uma oportunidade de sucesso e satisfação compartilhada. Deixemos preconceitos de lado, abra-se a novas oportunidades e ofereça novas possibilidades aos seus pacientes e a sua rotina profissional.
   
Rosário Casalenuovo Júnior
Especialista em Ortopedia Funcional dos Maxilares, Ortodontia, Dor Orofacial e Disfunção de ATM; Ex-presidente - ABFCOC (2009/2010); Presidente - ABOR-MT; Professor do curso de Especialização em Ortodontia - ABO-MT; Criador do Conceito Ortodontia Funcional e Estética.

Tema: Conceito Ortodontia Funcional e Estética.
Abordagem: O Conceito Ortodontia Funcional e Estética foi desenvolvido com base nas funções do organismo e na estética do rosto. A Ortodontia contemporânea se voltou para desenvolver técnicas, aparelhos e facilidades para os tratamentos em adultos, mutilados, crianças. Este novo conceito desenvolveu estudos focados nas funções do organismo e não apenas na anatomia e na oclusão dos dentes. Concluindo mais benefícios para o paciente e honorário mais alto para o profissional.
   
Rubens Simões de Lima
Pós-graduado e mestre em Ortodontia - Universidade de São Paulo; Professor e coordenador do curso de Especialização em Ortodontia - SPO (Sociedade Paulista de Ortodontia).

Tema: Existem várias maneiras de tratamento, porém, apenas um diagnóstico correto (Morton Amsterdan).
Abordagem: Independente da técnica utilizada pelo ortodontista para tratamento de uma má oclusão, é de fundamental importância a definição de um bom diagnóstico. O autor desenvolveu uma tabela, a qual será preenchida com valores cefalométricos, discrepância de modelos, desvio de linha média e curva de Spee do paciente, os quais determinarão se o tratamento deve ser feito com ou sem extrações. O valor final da discrepância total orientará o ortodontista na necessidade de preservação ou não de ancoragem com vistas na estabilidade e perfil do paciente. Casos clínicos serão apresentados exemplificando várias situações clinicas.
   
Sandra Tiberio
Especialista e Mestre em Ortodontia - Umesp; Coordenadora do curso de Pós-graduação - Fapes; Autora do livro Ortodontia clínica: multidisciplinar e contemporânea.
Tema: Distalização de molar controlada: busca de soluções dos efeitos indesejáveis que ocorrem com aparelhos distalizadores convencionais.
Abordagem: A distalização de molares é um dos meios de se corrigir a má oclusão de classe II. Existem vários tipos de dispositivos intra-bucais que independem da colaboração do paciente. O propósito deste estudo é abordar os efeitos colaterais que os aparelhos distalizadores em geral promovem como hiperemia da mucosa do palato, perda de ancoragem dos dentes suporte, protrusão e vestibularização do segmento anterior e rotação do molar distalizado. Assim, com apoio nessas evidencias, foi elaborado um distalizador (DMC de Guerreiro) que se mostrou eficiente na movimentação de corpo do molar, pequenas alterações do longo eixo e clinicamente um ganho de espaço ântero-posterior sem perda de ancoragem. Detalhes da confecção deste aparelho serão evidenciados bem como as comprovações clinicas e radiográficas da distalização de molar controlada (DMC).
   
Sérgio Carmelo Torres
Cirurgião-dentista - USP-Bauru; Especialista em Ortodontia - Profis-USP, Bauru; Mestre em Ortodontia - Universidade Paulista, SP; Professor dos cursos de Especialização em Ortodontia - FMU, SP; Coordenador do curso de Especialização em Ortodontia - IES, MG.
Tema: O uso clínico racional do aparelho Bite Block.
Abordagem: O aparelho Bite Block tem sido utilizado na Ortodontia com o objetivo de intrusão de dentes posteriores para correção da Mordida Aberta Esquelética. Demonstraremos os diferentes tipos de aparelhos e suas indicações clínicas, em associação com mini-implantes e aparelhos fixos.Também podemos realizar uma fisioterapia dos músculos mastigatórios, com a utilização do Bite Block, após a intrusão dos dentes posteriores com mini-implantes ou após a cirurgia ortognática para intrusão posterior.
   
Sérgio Jakob
Doutor, mestre e especialista em Ortodontia; Pós- graduado - Roth-Williams Center, Burlingame - USA; Coordenador do curso de Especialização em Ortodontia - Unip Goiânia; Diretor do Programa Internacional em Ortodontia - New York University no Brasil.
Tema: Biomecânica autoligante interativa - Conceito e técnica.
Abordagem: Introdução aos sistemas interativo e passivo de acessórios autoligantes interativos; Aspectos biológicos; Fase de alinhamento e nivelamento com acessórios autoligantes interativos: controles sagital e vertical e protocolo de fios; A utilização dos slots diferenciais para fechamento de espaços: importância do conceito de autocinese e otimização da prescrição Roth; Solução de problemas clínicos de difícil controle; Estágio atual das pesquisas relativas à Biomecânica Interativa Autoligante; Apresentação de casos clínicos.
   
Sérgio Nakazone Jr.
Mestre e Doutor em Prótese Dentária - Universidade de São Paulo; Membro do Serviço de Oclusão e ATM - SOA-USP; Coordenador do curso de Especialização em Prótese Dentária - Ciodonto, PI; Especialista em Ortopedia Funcional dos Maxilares, Dor Orofacial e Disfunção Temporomandibular - CFO; Ex-Presidente e Membro Fundador - Academia Brasileira de Fisiopatologia Crânio-Oro-Cervical - ABFCOC; Membro - Academia Ibero Latino-Americana de Disfunción Cráneo-Mandibular y Dolor Facial – AILDC; Research Fellow - Universidade Gakkuin Aichii, Japão, 1999.

Tema: Ortopedia Funcional dos Maxilares: como utilizar em pacientes com DTM.
Abordagem: Segundo estudos, a prevalência das DTMs tem se mostrado significativa na população adulta, chegando a 40 a 75% da população com algum sinal de disfunção articular; ou 33% com algum sintoma de DTM. E percebe-se o aumento de relatos de DTM em adolescentes e crianças. Utiliza-se a OFM como auxiliar no equilíbrio articular/muscular/oclusal, cessando ou minimizando as alterações estruturais e/ou os efeitos destas; como estalos, travamentos, instabilidade articular, dor e sensibilidade, restrições de mobilidade articular e muscular, crepitação, deformidades ósseas, alterações musculares e mudanças na oclusão. Para tal, devemos observar parâmetros de oclusão, sinais e sintomas de DTM e característica da dor do paciente, conforme PROTOCOLO de Indicação da OFM para terapia de DTM; ilustrado com apresentação de casos clínicos.
   
Sergio Polizio Terçarolli
Especialista em Ortopedia Funcional dos Maxilares; Membro fundador da ABFCOC - Academia Brasileira de Fisiopatologia Cranio Oro Cervical; Membro ativo da AILDC – Academia Iberolatinoamericana de Disfunción Craneomandibular y Dolor Facial; Professor nos cursos de especialização - ABO DF, Sobracom, Uniararas e APCD Jardim Paulista; Diretor secretário da CBOFM – Confederação Brasileira de Ortopedia Funcional dos Maxilares; Autor de capítulos em livros especializados; Cursos no Brasil, Peru, Chile e Argentina.
Tema: A Ortopedia Funcional na prevenção de oclusopatias.
Abordagem: Levantamentos epidemiológicos da última década mostram uma altíssima prevalência de oclusopatias, já na infância. 33% das crianças brasileiras apresentam classes II, aos três anos de idade. Na mesma faixa etária, 23% apresentam diferentes tipos de mordidas cruzadas. No total, 73% de todas as crianças brasileiras apresentam oclusopatias, o que torna a má oclusão um problema sério de saúde oral. A Ortopedia Funcional dos Maxilares apresenta um grupo de técnicas capazes de atender às necessidades de boa parte deste universo, com recursos terapêuticos simples, eficazes e de baixo custo. Estudos controlados na última década mostram que em várias situações, como por exemplo, mordidas cruzadas, podem ser corrigidas com sucesso sendo estas correções estáveis em 85% dos casos tratados ainda durante a dentição decídua. Durante o minisimpósio serão discutidos recursos terapêuticos objetivando a prevenção e o tratamento de oclusopatias na dentição decídua e início da dentição mista com recursos terapêuticos da OFM, baseado em evidências da literatura contemporânea.
   
Sílvia Augusta Braga Reis
Doutora em Ortodontia - USP; Mestre em Ortodontia - Umesp; Especialista em Ortodontia - Profis, USP-Bauru; Coordenadora do primeiro curso Brasileiro de Tratamento Ortodôntico em Adultos – Ortoadultos; Coordenadora do curso de Especialização em Ortodontia - IES - Belo Horizonte.
Tema: Soluções estéticas e alternativas mecânicas no tratamento ortodôntico em adultos.
Abordagem: O tratamento ortodôntico em pacientes adultos apresenta limitações relacionadas à ausência de crescimento ou deficiência na ancoragem. Alternativas mecânicas relacionadas ao uso mecânicas minimalistas, diferentes ancoragens esqueléticas e elásticos intermaxilares permitem movimentações que estabelecem uma oclusão equilibrada e resultado estético que privilegia a exposição dos dentes no sorriso, o corredor bucal e o paralelismo do arco do sorriso.
   
Silvia Fuerte Bakor
Doutora em Ciências - Unifesp; Mestre em Ortodontia - Imes; Tradutora e revisora científica dos livros de Crescimento e Desenvolvimento Craniofacial de Donald H. Enlow; Responsável pelo módulo Crescimento e Desenvolvimento Craniofacial em cursos de Especialização.

Tema: Arquitetura facial: o indicador biológico da Ortodontia.
Abordagem: A evolução tecnológica da Ortodontia Contemporânea ocorre sistematicamente e nos traz muitas contribuições clínicas. Ficamos entusiasmados com os novos recursos, mas às vezes nos surpreendemos com as diferentes respostas de nossos pacientes, nem sempre positivas. Cada indivíduo apresenta uma particularidade biológica própria que deve ser reconhecida. Independente da técnica empregada, nosso objetivo é terminar os casos com estética, função e estabilidade pós-tratamento. Respeitar as diferenças arquitetônicas da face faz toda a diferença.
   
Silvia Vedovello
Professora doutora do Programa de Mestrado - Uniararas; Professora doutora convidada do Programa de Mestrado - São Leopoldo Mandic, Campinas.
Tema: A importância do diagnóstico funcional na má oclusão de Classe III: prognóstico e padrão facial.
Abordagem: O diagnóstico da má oclusão de Classe III deve ser precoce, se possível na dentadura decídua, quando sua interceptação resulta em mais efeitos ortopédicos em detrimento dos efeitos ortodônticos. Entretanto a determinação do prognóstico de seu tratamento está diretamente relacionada ao padrão morfológico e ao envolvimento esquelético da maxila e/ou mandíbula. O objetivo da apresentação é discorrer sobre o padrão morfológico no diagnóstico da Classe III.
   
Tereza Cristina Rodrigues da Cunha
Research Assistent Professor Orthodontics, University of Florida; Doutora em Odontologia pela Unesp; Mestre em Ortodontia pela Universidade Metodista de São Paulo; Especialista em Radiologia pela USP-Bauru; Especialista em DTM e Dor Orofacial . Coordenadora e professora de cursos de especialização em Ortodontia da Faculdade de Odontologia INAPOS.
Tema: Fatos e ficção no tratamento da má oclusão Cl II e III, nos pacientes em crescimento.
Abordagem: Um questionamento constante que temos entre os ortodontistas, é se podemos modificar o crescimento com a utilização de aparelhos ortopédicos, AEB, elásticos ou outros. Em caso positivo, se o crescimento facial é beneficiado com um tratamento mais cedo. Se as modificações que podem ocorrer são dentárias ou esqueléticas. Se é necessária a retenção para combater a recidiva.
   
Terumi Okada Ozawa
Diretora da Divisão de Odontologia - Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (Centrinho), USP-Bauru; Cirurgiã bucomaxilofacial.
Tema: Reparo do defeito alveolar com proteína morfogenética óssea (rhBMP-2): movimentação dentária dentro do osso neoformado.
Abordagem: Serão abordados os aspectos técnico-cirúrgicos e os resultados clínicos de uma pesquisa inovadora utilizando uma proteína que induz a neoformação óssea, obtida laboratorialmente a partir de técnica de recombinação gênica. Comercialmente, apresenta-se liofilizada e é reconstituída em água destilada e distribuída em uma membrana de colágeno reabsorvível para ser aplicada ao sítio receptor (defeito ósseo alveolar). No HRAC-USP, foi aplicada em fissuras labiopalatinas completas em substituição ao enxerto ósseo autógeno (medular de crista ilíaca), padrão ouro de reabilitação, obtendo resultados excelentes de formação óssea (volume, altura e espessura).
   
Thais Maria Freire Fernandes
Mestre e Doutora em Ortodontia - FOB-USP; Professora - Universidade Norte do Paraná (Unopar).
Tema: Eficiência no tratamento da má oclusão de Classe II com o aparelho Forsus.
Abordagem: A má oclusão de Classe II admite diversos protocolos de tratamento. Atualmente, os profissionais buscam protocolos de tratamento mais eficientes e aparelhos que não dependam da cooperação do paciente, pois é sabido que a falta de colaboração do paciente pode resultar em um tratamento menos eficiente e, além disso, aumentar o tempo de tratamento. Entre os inúmeros aparelhos que surgiram nos últimos anos para o tratamento da má oclusão de Classe II um dos que mais tem conquistado adeptos é o aparelho Forsus. Essa apresentação tem por finalidade fazer uma descrição detalhada desse aparelho, demonstrar os método de instalação e mostrar a sua eficiência na correção de casos clínicos.
   
Tulio Silva Lara
Doutor em Ortodontia - Faculdade de Odontologia de Araçatuba, Unesp; Ortodontista - Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais, Universidade de São Paulo/Funcraf; Professor do curso de Ortodontia Preventiva e Interceptiva - Profis.
Tema: Resolução conservadora do apinhamento dos incisivos na dentadura mista.
Abordagem: Será abordado o diagnóstico diferencial do apinhamento primário temporário e definitivo no estágio de dentadura mista e o tratamento do apinhamento definitivo ambiental com expansão rápida no arco superior e expansão lenta no arco inferior com a placa lábio-ativa. A novidade para este protocolo clássico é a utilização da PLA aberta e fixa, ou seja, sem a dependência da variável cooperação, o que torna os resultados mais rápidos e previsíveis.
   
Ueide Fernando Fontana
Professor titular - Universidade Paulista e Unifeb, com trabalhos publicados e muitos cursos ministrados; Diretor de revistas e associações de Odontologia.
Tema: A estética e a cosmética restauradora associada aos tratamentos ortodônticos.
Abordagem: O profissional em Ortodontia encontra sérias dificuldades nos casos clínicos onde os dentes perderam ou não tem as formas ideais, ou quando tem agenesias ou diastemas dentários, principalmente anteriores. A estética e a cosmética colaboram com o tratamento ortodôntico antes, durante ou após o tratamento. Desgastes interdentais podem ser feitos, com a manutenção dos contornos.
   
Valter Ossamu Arima
Professor de Ortodontia Lingual - Associação Brasileira de Ortodontia Lingual (Abol); Presidente e coordenador para exames a Membro Efetivo - Abol; Membro Ativo - World Society of Lingual Orthodontics (WSLO); Diplomado - Board Brasileiro de Ortodontia Lingual Abol e World Board of Lingual Orthodontics (WBLO-WSLO), Osaka, Japão.

Tema: Ortodontia lingual: o aparelho de ontem que não vemos mais hoje.
Abordagem: A Técnica Lingual que surgiu há algumas décadas e, vem se desenvolvendo muito nos últimos anos, traz consigo um apanhado de estudos científicos e casos clínicos que os Ortodontistas têm conquistado por meio do aparelho por trás dos dentes de seus pacientes. Os diversos mecanismos e técnicas disponíveis batalham por seu espaço e por fim, objetivam os mesmos resultados da Técnica Vestibular, porém com muito mais estética e classe. A expectativa crescente dos pacientes que procuram um tratamento ortodôntico diferenciado indica na verdade, uma nova era estética na Ortodontia. Serão abordados na conferência casos clínicos com todos os tipos de más oclusões.
   
Vanda Beatriz Teixeira Coelho Domingos
Mestre e doutora em Diagnóstico Bucal - Fousp; Especialista em Ortodontia; Coordenadora de curso de Especialização - SPO; Coordenadora do curso de Ortodontia e Ortopedia - Cron-Om Brasil; Presidente - Federazione Internacionale Cron-Om.

Tema: Tratamento não cirúrgico das Disfunções Temporomandibulares.
Abordagem: As DTMs (Disfunções Temporomandibulares) acometem indivíduos do sexo feminino e masculino. Costuma ser contínua, localizada diante da orelha, podendo se irradiar pela face ou região temporal. Pode ser uma dor leve, moderada. Geralmente, percebemos um ruído no local, chamado de crepitação. O tratamento para esta patologia deve ser executado pelo dentista normalmente especialista na área. Quando estes pacientes, além dos sintomas, apresentam também má oclusão instalada, o tratamento pode também ser executado por ortodontistas e/ou ortopedistas, normalmente sendo bastante eficiente quando executado interdisciplinarmente. Pode ser encaminhado para o otorrinolaringologista, neurologista ou reumatologista, dependendo da sua complexidade.
   
Vera Helena T. Coelho Terra
Mestre em Distúrbios da Comunicação; Especialista em Motricidade Orofacial; Professora em cursos de Especialização em Ortodontia - SPO e SLMandic.

Tema: Tratamento fonoaudiológico, uma visão atual para a Ortodontia.
Abordagem: O tratamento multidisciplinar Fonoaudiologia/Ortodontia já não deixa mais dúvida a sua necessidade no mundo odontológico. A evolução da Ortodontia nas últimas décadas, as técnicas ortodônticas modernas, os novos recursos na aparatologia e a excelência dos materiais hoje empregados, exigem uma nova postura e visão desse tratamento por parte de fonoaudiólogos e ortodontistas. O perfil do paciente que procura tratamento ortodôntico mudou muito nos últimos anos. São hoje adultos em sua grande maioria, somado a adolescentes e crianças mais informadas e com menos tempo disponível, portanto muito mais exigentes. O fonoaudiólogo teve então, que se aprimorar e se adaptar a essa nova realidade e situação.
   
Waldemar D. Polido
Doutor e Mestre em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial; Especialista em Implantodontia; Residência em Cirurgia Bucomaxilofacial – Universidade do Texas, Southwestern Medical Center at Dallas; Responsável pela área de Cirurgia da Contento-Odontologia Especializada, Porto Alegre, RS; Fellow e Speaker do ITI
Tema: Benefício antecipado em cirurgia ortognática: nove anos de experiência.
Abordagem: O tratamento ortodôntico-cirúrgico convencional tem limitações, pois, ao decidir realizar o tratamento, o paciente precisa esperar em média um ano e meio para realizar a cirurgia, bem como, na maioria dos casos, ver a sua aparência facial piorar durante esse período. Isso é um tanto paradoxal, porque muitos pacientes que procuram tratamento, o fazem motivados pela melhora estética, ainda que o tratamento tenha um forte cunho funcional. Em virtude dessa limitação, entre outras, utilizamos em nossas clínicas privadas, desde 2004, uma metodologia de tratamento que antecipa a realização da cirurgia. Esse protocolo se baseia em – após o diagnóstico - planejar extensamente todas as fases do tratamento, montar o aparelho ortodôntico, operar o paciente e, somente depois, realizar o tratamento ortodôntico ativo. Essa metodologia antecipa os benefícios da cirurgia e por isso foi denominada de Benefício Antecipado. Ela não muda de forma significativa a técnica cirúrgica, mas sim o tratamento ortodôntico, tornando-o mais complexo por incorporar a ancoragem esquelética na maior parte dos casos, e requerer um comprometimento do ortodontista em atingir os objetivos traçados ao início. Essa conferência objetiva apresentar esse protocolo.
   
Weber Ursi
Mestre e doutor em Ortodontia - USP, Bauru; Fellow - University of Michigan e New York University; Professor livre-docente - Faculdade de Odontologia de São José dos Campos - Unesp; Editor interno - Revista Clínica Dental Press de Ortodontia.
Tema: Limites da compensação ortodôntica: até onde é viável tentar?
Abordagem: O tratamento Ortodôntico deve ser conduzido, para propiciar uma melhora nos aspectos funcionais e estéticos, com um diagnóstico preciso, com uma biomecânica individualizada e respeitar os limites biológicos impostos pela matriz funcional. O componente funcional craniano, composto pela matriz funcional e a unidade esquelética, não apresenta possibilidades ilimitadas de remodelação periostal. Ë dever de todo Ortodontista conhecer estas barreiras e limitações anatômico-funcionais, para que “heroísmos” não sejam tentados, o que coloca a longevidade da dentição e risco a longo prazo. O objetivo deste curso será o de discutir, à luz das evidências científicas mais atuais, quais são os limites seguros para atuação da Ortodontia. Novas abordagens, como o uso de bráquetes autoligáveis passivos, protratores mandibulares e uso de tomografias serão discutidos e ilustrados.
   

Orto 2012-SPO ©2012. Todos os direitos reservados.