Revista OrtodontiaSPO 2015 | V48N4 | Páginas: 373-7

Documentação ortodôntica digitalizada – ainda precisamos de papel?

Electronic orthodontic records – we still need papers?

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

Autor(es):

Wendel Shibasaki1
Marlos Loiola2
João Pedro Pedrosa Cruz3
Flavio Cotrim-Ferreira4

1Mestre em Ortodontia – Unicid; Coordenador dos cursos de especialização em Ortodontia – Instituto Lumier/Famosp e do Funorte/Iappem-BA; Especialista em Ortodontia – Cebeo/BA; Membro da Sociedade Brasileira de Pesquisa Odontológica (SBPQO).
2Mestre em Ortodontia – Unicid; Professor do curso de especialização em Ortodontia – Instituto Lumier/Famosp-BA; Especialista em Ortodontia – Cebeo/BA; Membro da Sociedade Brasileira de Pesquisa Odontológica (SBPQO).
3Mestre em Ciências Odontológicas – Faculdade de Odontologia da USP; Professor de Odontologia Legal – Uesb.
4Mestre em Ortodontia e doutor em Diagnóstico Bucal – Faculdade de Odontologia da USP; Professor associado dos cursos de especialização e mestrado em Ortodontia – Instituto Vellini; Editor científico – Revista OrtodontiaSPO.

Resumo:

Muitos dos processos de diagnóstico e planejamento no consultório de Ortodontia contemporâneo têm ocorrido de maneira digitalizada. Exames, anteriormente gerados apenas em suporte de papel, têm sido entregues ao profissional em formato digital e até enviados pela internet. Acompanhando essas transformações técnicas, muitos ortodontistas sonham em ter um consultório inteiramente informatizado, com todos os dados disponíveis em qualquer momento por acesso remoto. Com os avanços tecnológicos, a possibilidade da digitalização do prontuário físico, bem como do uso dos sistemas informatizados, se apresentam como excelentes opções para a manutenção da documentação odontológica. Além da evidente relevância clínica e administrativa, uma boa documentação é reconhecida como a melhor forma de defesa de um profissional quando sua conduta é colocada à prova. Neste contexto, é preciso que o ortodontista entenda os critérios técnicos e legais para incorporação dos meios digitais à sua rotina. O objetivo deste trabalho foi discutir as exigências legais da utilização de prontuários eletrônicos por especialistas em Ortodontia, bem como apresentar os aspectos práticos a serem considerados no caso da digitalização de documentos elaborados na clínica com o objetivo de armazenamento.

Unitermos:

Documentação; Ortodontia; Odontologia Legal; Legislação.

Abstract:

Many of the diagnostic and planning processes in contemporary orthodontic office has been digitized and many exams previously generated on paper has been delivered entirely digital and sent over the internet. Accompanying these technical changes, many orthodontists dream of having a fully digitized office, with all the information available at any time via remote access. With technological advances, the possibility of scanning physical records and the use of computerized systems, stand as excellent options for maintaining dental records. Apart from the obvious clinical and administrative relevance, a good documentation is recognized as the best form of defense of a professional when their conduct is questioned. In this context, it is necessary that the orthodontist understand the technical and legal criteria for incorporation of digital media to your routine. The objective of this paper is to discuss the legal requirements the use of electronic medical records by orthodontic specialists, as well as presenting practical aspects to be considered in the case of document scanning developed in the clinic with the purpose of storage.

Keywords:

Documentation; Orthodontics; Forensic Dentistry; Legislation.